Tecnologia usada a favor de uma vida saudável

Aplicativo HCMaps cruza dados sobre a presença e a ausência de equipamentos que promovem práticas de bem-estar

Existência de academias  é um dos contextos  analisados pelo app Existência de academias é um dos contextos analisados pelo app  - Foto: Marina Mahmood//Arquivo Folha

O acompanhamento digital e em tempo real de pessoas com diabetes e/ou hipertensão arterial ganhou um empurrão da tecnologia no Estado. A Fiocruz Pernambuco, em parceria com a empresa Sysvale, de Petrolina, desenvolveu um aplicativo inédito que ajuda os profissionais de saúde a integrar boas práticas de saúde aos pacientes crônicos melhorando a qualidade de vida e diminuindo o agravamento dos quadros. O app Collectivehealthmaps (HCMaps) utiliza georreferenciamento para mapear territórios e indicar espaços que promovam ou dificultem alimentação saudável e prática de atividades físicas.


O aplicativo, que está sendo testado em projetos de alunos do mestrado e doutorado em Saúde Pública da Fiocruz, tem a perspectiva de ser disponibilizado para uso dos serviços públicos de saúde no futuro. A ferramenta que é compatível com celulares e tablets e utiliza o sistema operacional Android, promete tornar mais interativa e próxima a atuação das equipes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e dos Postos de Saúde da Família (PSFs), que manejam os pacientes crônicos.

“Temos estudado, no Laboratório de Avaliação, Monitoramento e Vigilância em Saúde (Lam-Saúde), a atenção ao paciente que é portador de diabetes e/ou hipertensão no sentido de avaliar como a atenção básica tem se apresentado no monitoramento dessas pessoas, porque é nessa instância que se evitam as complicações futuras dos pacientes e até mesmo os ônus para o próprio serviço de saúde. Começamos, mais recentemente, a analisar os hábitos de vida desses sujeitos com foco na alimentação e no sedentarismo”, justificou a coordenadora do Lab-Saúde, Eduarda Cesse.

A partir de quatro cidades-polo (Recife, Caruaru, Serra Talhada e Petrolina), os testes com o HCMaps cruzam dados sobre a presença e ausência de equipamentos que ajudem a promover alimentação equilibrada e atividade física para diabéticos e hipertensos naquela região e de que forma os profissionais de saúde podem trazer para o cotidiano deles essas práticas saudáveis. Isso é possível com a compilação dos dados territoriais por meio de Ecomapas digitais produzidos pelo app.

O Ecomapa é uma representação gráfica da área em consonância com as necessidades do sujeito. Ele junta contextos locais - como localização e existência de academias, feiras livres/orgânicas, praças e parques nas áreas de atuação do Nasf - com contextos de necessidades de saúde das pessoas com as doenças crônicas.

 

Veja também

Mutirão da Rede de Fisioterapia de Olinda atenderá 140 pacientes nesta terça-feira (27)
Saúde

Mutirão da Rede de Fisioterapia de Olinda atenderá 140 pacientes nesta terça-feira (27)

Vacina de Oxford gera 'resposta imune forte' em idosos, diz jornal
Covid-19

Vacina de Oxford gera 'resposta imune forte' em idosos, diz jornal