Clima

"Tempestade do século" atinge Rússia, Ucrânia e Moldávia, deixando ao menos 18 mortos

As autoridades regionais disseram que a temperatura caiu abaixo de zero, com relatos de rajadas de até 72 quilômetros por hora

Moradores são evacuados da vila inundada, na Crimeia, em 27 de novembro de 2023, após  tempestadeMoradores são evacuados da vila inundada, na Crimeia, em 27 de novembro de 2023, após tempestade - Foto: STRINGER / AFP

Ventos com força de furacão, nevascas e inundações que varreram partes do Sul da Rússia, Ucrânia e Moldávia deixaram pelo menos 18 pessoas mortas e quase dois milhões sem energia, disseram as autoridades.

Apelidada de "tempestade do século" pela mídia russa, o clima violento atinge desde domingo (26) as regiões do Sul do Daguestão, Krasnodar e Rostov, bem como os territórios ucranianos ocupados de Donetsk, Luhansk, Kherson, Zaporíjia e Crimeia.

Na Ucrânia, o mau tempo deixou pelo menos dez pessoas mortas, 23 feridas e quase 400 localidades sem energia elétrica, depois de tempestades terem despejado até 25 centímetros de neve em algumas regiões. Quatro morreram na Rússia e na Crimeia devido às tempestades, com outras quatro mortas na Moldávia.

A tempestade deixou "cerca de 1,9 milhão de pessoas" sem eletricidade nestas regiões "devido a condições meteorológicas adversas", afirmou o Ministério da Energia russo em comunicado na segunda-feira.

Ondas enormes atingiram áreas litorâneas da costa russa do Mar Negro, mostraram vídeos das redes sociais, enquanto a velocidade do vento atingia mais de 140 quilômetros por hora em alguns lugares.

O presidente russo, Vladimir Putin, recebeu relatórios sobre estes "desastres meteorológicos" e determinou que seu governo tome medidas para ajudar as regiões afetadas, segundo o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Rodovias atingidas
Partes da rodovia costeira da Crimeia que liga as cidades de Yevpatoria e Simferopol foram fechadas devido a inundações, e os serviços de balsa da maior cidade da Crimeia, Sebastopol, foram suspensos.

Cerca de 500 animais marinhos do aquário de Sebastopol foram mortos durante a tempestade, que inundou um de seus andares.

O tráfego ferroviário na costa russa do Mar Negro foi interrompido depois que os trilhos caíram no mar, enquanto o carregamento de petróleo no porto de Novorossiysk foi suspenso.

As autoridades regionais disseram que a temperatura caiu abaixo de zero, com relatos de rajadas de até 72 quilômetros por hora.

Tudo isso em um contexto de máxima pressão sobre as equipes de regaste e a rede elétrica ucraniana, frequentemente atacada pelas forças russas desde o início da invasão à Ucrânia em fevereiro de 2022.

Veja também

Advogado de 77 anos mata eletricista no bairro de Parnamirim, na Zona Norte do Recife
Homicídio

Advogado de 77 anos mata eletricista no bairro de Parnamirim, na Zona Norte do Recife

'Quem vai me chamar de mãe agora?', diz palestina que perdeu bebês gêmeos em bombardeio em Gaza
GUERRA NO ORIENTE MÉDIO

'Quem vai me chamar de mãe agora?', diz palestina que perdeu bebês gêmeos em bombardeio em Gaza