Terça Negra no clima do Carnaval

Para fechar a noite, ainda tem a apresentação do Afoxé Exu Elegbará. A celebração começa sempre às 20h

Pátio do São Pedro, no Centro do RecifePátio do São Pedro, no Centro do Recife - Foto: Nathália Bormann/Arquivo Folha

 

Os encontros da Terça Negra já assumiram o tom carnavalesco. Hoje e nas próximas duas semanas o Pátio de São Pedro, no Centro do Recife, será tomado pelos sons africanos de raiz como afoxé, maracatu, coco e samba-reggae. Nesta noite se apresentam o Maracatu Nação Leão da Campina, do Ibura, seguidos pela Banda Afro Oju Obá e pelos amantes do coco que tocam na Coco de Pareia. Para fechar a noite, ainda tem a apresentação do Afoxé Exu Elegbará.

A celebração começa sempre às 20h. “A diferença maior nessas edições de carnaval é que os artistas foram contemplados no edital da prefeitura e recebem cachê pelas suas exibições”, ressaltou a gestora do Núcleo da Cultura Afrobrasileira, ligado à Secretaria de Cultura, Aldenide Simões.

A Terça Negra se iniciou em 1999 e desde 2001 tem a estrutura de palco e iluminação organizados pela prefeitura. Contudo, exceto pelas épocas de festa, em que se lançam editais, os artistas não são pagos. 
“Eles ganham pela visibilidade. Sem as Terças, poucos tocariam durante o ano”, afirmou um dos organizadores da programação, Demir da Hora, membro do Movimento Negro Unificado (MNU).

 

Veja também

Total de mortos por covid-19 no mundo passa de 3 milhões
Covid-19

Total de mortos por covid-19 no mundo passa de 3 milhões

Jairinho é citado por ligação com milícias ao Disque Denúncia há mais de 10 anos
Caso Henry Borel

Jairinho é citado por ligação com milícias ao Disque Denúncia há mais de 10 anos