Terceiro dia sem quarentena rigorosa é marcado por movimentação intensa na RMR

Alguns estabelecimentos que não tiveram o funcionamento liberado estão funcionando e formam filas extensas

Terceiro dia sem a quarentena mais rígida na RMR.Terceiro dia sem a quarentena mais rígida na RMR. - Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

No terceiro dia sem quarentena rígida no Recife e nas quatro cidades da Região Metropolitana - Jaboatão dos Guararapes, Olinda, Camaragibe e São Lourenço da Mata -, a movimentação foi intensa nesta quarta-feira (3). Pela manhã, o fluxo de veículos e de pessoas no bairro de Afogados, na Zona Oeste do Recife, era semelhante ao cotidiano do período anterior à pandemia da Covid-19 na Capital Pernambuco. Já no Centro, o cenário era diferente, e a circulação de transeuntes era reduzida nos principais corredores do bairro da Boa Vista.

Durante a passagem da Folha de Pernambuco pelo comércio do bairro da Zona Oeste, várias pessoas se acumulavam em estabelecimentos locais, em bancos e nas paradas de transporte público. Em torno do mercado e feira livre de Afogados, ponto em que também fica o Terminal Integrado de Afogados, havia aglomeração de pessoas nas calçadas e nas filas para entrar no comércio. Para entrar no mercado, agentes da Prefeitura do Recife (PCR) faziam o controle e apenas consumidores com máscaras podiam entrar.


Leia também:
Confira os protocolos de higiene e segurança nos estabelecimentos comerciais
Procon-PE fecha 671 estabelecimentos durante quarentena
Fim da quarentena pode prolongar crise econômica, diz investidor



O controle também estava nas ruas. Policiais orientavam comerciantes locais e ambulantes nas principais vias. Isso não impediu que formasse uma grande fila na parte externa da agência do Banco Itaú, em frente ao Largo da Paz. Lá, idosos, gestantes e jovens se misturavam nas filas, sem auxílio de funcionários, desrespeitando os limites de isolamento social proposto pelo Governo do Estado. Do outro lado, agentes comunitários da PCR organizavam a fila da Caixa Econômica Federal por causa do pagamento do auxílio emergencial.

Além do grande volume de pessoas nas ruas, o bairro de Afogados ainda tinha comércio fora do plano de retomada econômica aberto. Lojas de cosméticos formavam filas externas para a entrada de clientes, sem aderir ao distanciamento mínimo de um metro e meio. O cenário é diferente no Centro do Recife. Nos bancos, as filas eram pequenas e apenas os comércios de serviço essencial estavam abertos. Ruas como a Imperatriz, na Boa Vista, havia apenas movimento nas farmácias e carros estacionados. Na Avenida Conde da Boa Vista, as paradas estavam com número de pessoas abaixo do comum para um dia normal, mas ainda acima das últimas semanas.

De acordo com o Painel de Isolamento Social do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), a taxa de isolamento no Recife caiu para 46,6% em média retirada desta terça-feira. A Capital é a terceira cidade do ranking da Região Metropolitana (RMR), perdendo para a Ilha de Itamaracá, com 47,7%, e o município de Olinda, com 46,9%. A cidade com a menor taxa da região é Araçoiaba, com apenas 33,8% da população cumprindo as recomendações.

Veja também

Brasil já tem a maior taxa de mortalidade por Covid-19 das Américas
Coronavírus

Brasil já tem a maior taxa de mortalidade por Covid-19 das Américas

Sisu 2021 recebe inscrições para lista de espera até a próxima sexta-feira
Educa Mais

Sisu 2021 recebe inscrições para lista de espera até a próxima sexta-feira