SISMO

Terremotos em série geram pânico em região espanhola de Granada

Apesar da atividade sísmica, nenhum dano material significativo foi registrado

Habitantes de Granada saíram de casa assustados à noite, alguns de pijama, apesar do toque de recolher que está em vigor por causa da pandemiaHabitantes de Granada saíram de casa assustados à noite, alguns de pijama, apesar do toque de recolher que está em vigor por causa da pandemia - Foto: Reprodução/Twitter

Uma série de terremotos sacudiu a região de Granada, no sul da Espanha, por dias e três tremores consecutivos em apenas alguns minutos desencadearam o pânico na noite de terça (26) para a quarta-feira (27), apesar de nenhum dano material significativo ter sido registrado. 

Imagens nas redes sociais mostraram os habitantes de Granada saindo de casa assustados à noite, alguns de pijama, apesar do toque de recolher que está em vigor por causa da pandemia do novo coronavírus. 
 

 

A situação levou o presidente do governo, Pedro Sánchez, a pedir calma. 

"Vários terremotos voltaram a fazer Granada tremer esta noite. Estou consciente da preocupação de milhares de pessoas. É hora de manter a serenidade e seguir as recomendações dos serviços de emergência. Esperamos que logo retornem à normalidade", escreveu Sánchez no Twitter, na terça-feira à noite. 

De acordo com o Instituto Geográfico Nacional (IGN), os três terremotos da noite de terça-feira ocorreram em um período de menos de meia hora e tiveram magnitude registrada entre 4 e 4,5, seguidos "de uma série de terremotos com magnitude superior a 3". 

Desde o início de dezembro, cerca de 300 tremores ocorreram na região, segundo o IGN, dos quais cerca de quarenta foram sentidos pela população. 

No entanto, os movimentos de terra deixaram apenas alguns danos materiais - principalmente depois de um terremoto no sábado que foi um dos mais potentes - como rachaduras em casas ou queda de objetos próximo ao epicentro, segundo o instituto. 

"O sismo registrado é comum nesta zona", explicou o IGN, "uma das regiões com maior atividade sísmica da Península Ibérica", por causa da "convergência entre as placas Africana e Euroasiática" que origina "inúmeros terremotos de baixa a moderada magnitude e, ocasionalmente, com intensidade significativa".

Qualificando a situação como "muito preocupante", o prefeito de Granada, Luís Salvador, declarou nesta quarta-feira à televisão pública TVE compreender "o medo da população", mas clamava por "tranquilidade" já que esses tremores contínuos impedem "que haja um mais intenso e devastador". 

Outros registros da atividade sísmica foram compartilhados nas redes sociais.
 

 

 

 

Veja também

Cozinhar e criar filhos é jihadismo? Julgamento na Noruega tentará responder dúvida
Estado Islâmico

Cozinhar e criar filhos é jihadismo? Julgamento na Noruega tentará responder dúvida

CPRH multa novamente Prefeitura de Ipojuca por lançar esgoto na praia de Porto de Galinhas
Meio ambiente

CPRH multa novamente Prefeitura de Ipojuca por lançar esgoto na praia de Porto de Galinhas