EUA

The Economist declara apoio a Biden e diz que Trump profanou valores dos EUA

A revista afirma que o país está ainda mais infeliz e dividido do que quando Trump foi eleito, em 2016

Presidente dos Estados Unidos, Donald TrumpPresidente dos Estados Unidos, Donald Trump - Foto: Saul Loeb/AFP

Em um editorial publicado nesta quinta-feira (29), a revista britânica The Economist declarou apoio a Joe Biden, candidato do Partido Democrata à Casa Branca, e afirmou que o atual presidente, Donald Trump, "profanou os valores que fazem dos EUA um farol para o mundo".

A revista afirma que o país está ainda mais infeliz e dividido do que quando Trump foi eleito, em 2016, e que o republicano é um dos principais responsáveis por tornar a política americana mais raivosa.

No texto intitulado "Por que tem que ser Joe Biden", a Economist diz que o democrata "não é uma cura milagrosa" para os EUA, mas é "um bom homem que restauraria a estabilidade e a civilidade à Casa Branca".

"É por isso que, se tivéssemos [direito a] um voto, ele iria para Joe", afirma a revista.

O editorial segue enumerando uma série de ações de Trump - a quem a revista se refere como "Rei Donald" - que representariam falhas do presidente como "guardião dos valores da América e consciência da nação".

A lista inclui as políticas anti-imigração que "separaram cruelmente as crianças de seus pais", a negação das mudanças climáticas, a postura combativa contra as manifestações antirracismo e a resposta errática do governo à pandemia de coronavírus.

"Mais quatro anos de um presidente historicamente ruim como o Trump aprofundariam todas essas feridas - e [causariam] mais. Em 2016, os eleitores americanos não sabiam em quem estavam votando. Agora eles sabem", diz a revista.

A publicação afirma que a escolha dos americanos nesta eleição é fatídica, em que está em jogo a democracia no país, e que a vitória de Biden seria uma promessa de renovação.

Veja também

ONU condena 'racismo estrutural' no Brasil após assassinato de João Alberto
Racismo

ONU condena 'racismo estrutural' no Brasil após assassinato de João Alberto

Cisam, na Encruzilhada, ganhará centro de parto normal
Maternidade

Cisam, na Encruzilhada, ganhará centro de parto normal