Tiroteiro em Angra dos Reis deixa seis mortos e um ferido

A Polícia Militar apreendeu armas e drogas durante a ação

Angra dos ReisAngra dos Reis - Foto: Reprodução/Internet

Seis criminosos morreram e um ficou ferido em troca de tiros na madrugada desta segunda-feira (12) entre traficantes de drogas e homens da tropa de elite da Polícia Militar, em Angra dos Reis, no sul fluminense.

Em nota, a Polícia Militar informou que foram apreendidos três fuzis, duas espingardas, uma pistola automática, munições, 572 pinos de cocaína e 368 pequenos pacotes de cocaína.

O clima no dia de hoje está normal no município de Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense, depois de um dia de intenso tiroteio na comunidade Parque Belém, entre policiais militares e traficantes de drogas que agem na região. Devido ao poderio bélico dos traficantes, a unidade da PM de Angra pediu reforço ao Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) que seguiu do Rio para o município que fica a cerca de 200 quilômetros da capital.

Leia também:
Mãe e filho são resgatados dos escombros de desabamento no Rio de Janeiro
Polícia faz operação contra milícia no Rio de Janeiro


Com a chegada do Bope à noite, a comunidade do Belém foi cercada pelos militares e após intenso tiroteio que terminou de madrugada, seis criminosos morreram e um deles acabou ferido e foi encaminhado ao Hospital Municipal Geral de Japuíba, onde foi operado e está fora de perigo, de acordo com o boletim médico.

Após o tiroteio, moradores da comunidade do Belém incendiaram dois ônibus na rodovia Rio-Santos, que tiveram perda total. A rodovia ficou interditada por cerca de duas horas, mas antes das 4 horas da madrugada já estava liberada, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Veja também

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa
idosos

Pernambuco lança campanha de enfrentamento à violência contra a pessoa idosa

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio
emprego

Empresas admitem que promover minorias a cargos mais altos é um desafio