“Todos saímos perdedores”, ressalta viúva de Artur Eugênio

Para Carla Azevedo, significado de julgamento dos acusados de matar cirurgião é o de cicatrizar uma ferida aberta

John Wick – Um Novo Dia Para Matar John Wick – Um Novo Dia Para Matar  - Foto: Divulgação

Viúva do cirurgião torácico Artur Eugênio de Azevedo, a médica Carla Azevedo falou sobre a luta da família pela definição da punição para os culpados pela morte de Artur. Mesmo após a condenação dos primeiros réus julgados pelo crime, ela ressaltou que não há satisfação ou comemoração. "Todos saímos perdedores", disse. Confira a entrevista.

Dois acusados já foram condenados. Há forças para continuar lutando pela prisão dos outros dois acusados?
Sem dúvida. Foram cinco longos dias em que não só a condição física conta. O emocional também é colocado à prova. Mas agora nós temos uma sombra no caminho para descansar. Um tempo em que podemos parar para respirar e recarregar. Revigorar para seguir lutando. Algo que nos anima é ver o Ministério Público e a juíza trabalhando com transparência e lisura. Durante todo o processo foi assim, não é só por causa do resultado. No Brasil, em tempos em que as instituições são pressionadas, vermos que elas estão funcionando assim é um incentivo. Então, apesar de não haver data marcada para o próximo julgamento, posso garantir que eu, os familiares e os amigos estarão ainda mais fortes na próxima vez. Vamos até o fim. Até a justiça ser feita por completo.

A pena foi satisfatória?
Nem cheguei a pensar sobre a pena. Nós lutamos muito pela definição, para tê-los como culpados. Percebo que o juiz é soberano para determinar pena e que não nos cabe pressionar. Por outro lado, não há satisfação ou comemoração, porque todos saímos perdedores. No nosso caso, o resultado alivia a dor, alivia o peso nas costas, mas Artur não volta. Então, vou comemorar o que? Vamos seguindo. O significado desse julgamento para nossa história é o de cicatrizar uma ferida aberta. Uma cicatriz que eu não sei de que tamanho vai ficar, no fim das contas.

Você teve dúvida de que eles seriam condenados?

Já tínhamos muita convicção, pelas provas contidas nos autos. Mas, além disso, o MPPE mostrou com clareza a ligação entre os acusados, de forma que aquilo ficou óbvio para todos. Não restou muita duvida.

Veja também

Projeto da Central Única das Favelas entrega chips de celular a estudantes bolsistas da Unicap
Inclusão digital

Projeto da Central Única das Favelas entrega chips de celular a estudantes bolsistas da Unicap

Governo cria comissão para monitorar poluição marítima
Meio ambiente

Governo cria comissão para monitorar poluição marítima