CIÊNCIA

Tomate pode ser grande aliado do coração; veja como aproveitar

Brasil é um dos dez maiores produtores globais do fruto

Tomates tem propriedades que atuam como um anti-hipertensivo naturalTomates tem propriedades que atuam como um anti-hipertensivo natural - Foto: Pixabay

Presente na mesa da grande maioria dos lares, os tomates trazem uma série de benefícios à saúde, em especial ao coração. O principal responsável por isso é o licopeno, um carotenóide que propicia sua cor vermelha e que atua como um poderoso antioxidante. Mas há formas de potencializar as boas características do tomate na dieta.

Uma das hortaliças mais cultivadas em todo o mundo, encontra seu lugar de destaque também no Brasil, figurando entre os 10 maiores produtores globais. De acordo com dados do IBGE referentes a 2019, o país alcançou uma produção de 3.917.967 toneladas.

Aproximadamente 63% dessa enorme produção é destinada ao consumo in natura, complementando a alface na salada mais emblemática da culinária brasileira.

"É considerado um vegetal que consumimos regularmente mas conhecemos pouco sobre seus benefícios", diz a médica nutróloga Elizabeth Caron, membro da equipe do Centro Médico Bionut, na Argentina.

Chefe da unidade de nutrição e diabetes do Hospital Ramos Mejía e professor da Universidade de Buenos Aires, o médico Julio Bragagnolo afirma que antioxidantes, como "o licopeno, o betacaroteno e a vitamina C, protegem as células vasculares e as lipoproteínas da oxidação, prevenindo assim a formação de aterosclerose".

Além disso, eles têm um alto teor de água, vitaminas C, B, E e D e minerais como ferro, potássio, fósforo, cálcio e magnésio.

"O licopeno, que é encontrado em altas concentrações no tomate, é um pigmento lipofílico que fornece a cor vermelha e laranja. Ele desempenha um papel importante na saúde humana, mas não o sintetizamos, sua fonte é a ingestão", diz Caron.

Comprovada a ação benéfica de alimentos contendo fitoquímicos na saúde, recomenda-se aumentar seu consumo, pois desempenham um papel importante na prevenção de doenças crônicas. No caso do licopeno, Caron explica que ele possui propriedades biológicas e fisicoquímicas que atuam na prevenção de problemas como câncer, doenças cardiovasculares, neurodegenerativas e hipertensão, nas quais o estresse oxidativo é um fator etiológico importante.

A especialista afirma que antioxidantes como o licopeno mitigam o efeito prejudicial, desempenhando um papel significativo na prevenção dessas doenças.

Qual a quantidade ideal de passos por dia? Menos da metade do que a ciência pensou até hoje; veja os números

Um estudo publicado na revista científica Biology, realizado por pesquisadores da Universidade de Portsmouth, aponta que entre as propriedades benéficas do tomate para a saúde destaca-se a prevenção do câncer, além de "outras doenças relacionadas à idade, como cardiovasculares, diabetes, Alzheimer, bem como aspectos relacionados à saúde da pele e fertilidade".

Os benefícios proporcionados pelo consumo de tomate são vastos e notáveis: contribui para a prevenção e controle de doenças cardiovasculares; promove a saúde ocular; age como um escudo natural contra os raios UV, beneficiando a pele; fortalece os cabelos, conferindo brilho e vitalidade; auxilia no controle da pressão arterial; reforça o sistema imunológico e é aliado na prevenção do câncer de próstata.

Além desses atributos, o tomate se revela um alimento valioso para gestantes, uma vez que é rico em cromo, um mineral que ajuda a reduzir a resistência à insulina, facilitando o controle do diabetes gestacional. No entanto, é importante ter em mente que, durante a gravidez, o consumo de tomate deve ser ajustado de acordo com possíveis sintomas, visto que seu alto teor de acidez pode ocasionar azia, desconfortos estomacais e flatulência, que já são frequentes nesse período.

Inclua na dieta
A ação anti-hipertensiva do fruto é cientificamente comprovada, embora seja necessário consumir uma quantidade maior do que o normal para que seu efeito seja direto sobre o organismo. No entanto, Bragagnolo adverte que, dentro de um plano médico de controle da pressão, é aconselhável incorporar o tomate à dieta, adicionando-o aos hábitos saudáveis.

"É essencial ter em mente que o sal quebra o feitiço, ou seja, em casos de hipertensão, o sal não deve ser adicionado ao tomate para que sua ação anti-hipertensiva seja eficaz", ressalta.

No caso do tomate, o sal pode ser substituído por temperos que não o contenham, como orégano, tomilho, sálvia e azeite. O médico adverte que o vegetal contém oxalatos e, por isso, é desaconselhado para pessoas com tendência a formar cálculos renais.

É recomendado comer cinco porções de vegetais por dia, incluindo o tomate, e apenas 5g de sal.

Bragagnolo aponta que o fruto versátil, que se adapta a saladas ou sucos, passando por todas as suas nuances, se torna "amigável com todas as preparações" e ainda é hipocalórico.

Nutricionistas recomendam a preferência por tomates maduros e vermelhos, uma vez que o licopeno não pode ser sintetizado pelo organismo humano e precisa ser adquirido por meio da alimentação. A ingestão diária recomendada para obter seus benefícios protetores varia de 4 a 35 mg, o que equivale a um tomate cru.

Contudo, a forma mais eficaz de potencializar a absorção de licopeno, conforme apontado por nutricionistas, é consumir o tomate cozido ou na forma de molho, pois isso aumenta sua biodisponibilidade em até 2 a 3 vezes.

Por sua vez, Elizabeth Caron aconselha a planejar uma ingestão variada de vegetais em cores, de modo a incorporar diferentes nutrientes ao organismo:

"Quanto mais cor, mais saúde", diz a especialista.

A nutricionista reforça que somadas ao uso de medicamentos hipotensores, essas medidas não-farmacológicas são a base do tratamento, destacando quais atitudes podem ser tomadas:

"O efeito hipotensor das medidas não farmacológicas será proporcional ao grau de adesão do paciente a elas. São elas, parar de fumar, perder peso, reduzir o consumo de sódio, aumentar o consumo de potássio, magnésio e cálcio, gerenciar o estresse e praticar atividade física ou algum tipo de movimento".

Veja abaixo receitas indicadas pela nutricionista e colunista do jornal O Globo, Priscilla Primi, para o uso do tomate para além da salada.

Receita: Suco de tomate

Rendimento: 4 porções

Ingredientes

500g de tomates bem maduros;

200ml de água;

Sal a gosto;

Pimenta-do-reino a gosto;

1 colher (chá) de azeite;

Molho inglês a gosto;

Molho de pimenta a gosto;

Aipo inteiro;

Gelo picado a gosto.

Modo de preparo

Sirva com talo de aipo e gelo picado.

Tempere com molho inglês e molho de pimenta a gosto.

Passe pela peneira.

Corte os tomates, retire as sementes e bata-os no liquidificador com a água, o sal, a pimenta e o azeite.

Em seguida, coloque-os em um recipiente com água fria por 5 minutos e retire as peles.

Cozinhe os tomates inteiros por 15 minutos, em fogo médio.

Receita: Tomate confitado

Rendimento: 6 porções

Ingredientes

500g de tomate cereja ou grape;

1 colher (sopa) de açúcar;

1/2 colher (sopa) de sal;

Pimenta-do-reino a gosto;

4 dentes de alho laminados;

Azeite de oliva o suficiente para cobrir os tomates;

Alguns ramos de tomilho fresco, louro, manjericão, orégano ou ervas da sua preferência.

Modo de preparo

Em um refratário ou assadeira, coloque os tomatinhos, o açúcar, o sal, a pimenta, as ervas e os dentes de alho e cubra com o azeite.

Leve ao forno em 160ºC por 1 hora.

Transfira o tomate confitado ainda quente para um pote de vidro esterilizado.

Conserve na geladeira por até 15 dias.

Sugestão de consumo: acompanhamento de pratos, como carne e massas, acompanhado de pão, como entrada e em saladas.

Veja também

De homem ativo a um corpo "em estado caquético": quem era "Tio Paulo", levado para banco
Rio de Janeiro

De homem ativo a um corpo "em estado caquético": quem era "Tio Paulo", levado para banco

Apenas 22% do público-alvo se vacinou contra a gripe
dengue

Apenas 22% do público-alvo se vacinou contra a gripe

Newsletter