Traficante 'dono' de Águas Compridas é preso novamente

São atribuídos pelo menos seis homicídios, somente neste ano, ao homem conhecido como Gringo; delegado diz que ele ordenava crimes de dentro do presídio

Luana Mendonça dos Santos, uma das gerentes do tráfico em Águas CompridasLuana Mendonça dos Santos, uma das gerentes do tráfico em Águas Compridas - Foto: Alfeu Tavares / Folha de Pernambuco

"A prisão do 'Gringo' é um troféu para a cidade de Olinda". Foi com esta frase que o delegado Gilmar Rodrigues, da seccional de Olinda da Polícia Civil, abriu a coletiva de imprensa sobre a prisão do traficante Edney de Melo Silva, 38, mais conhecido como Gringo e que "era dono de Águas Compridas", segundo o delegado.

São atribuídos pelo menos seis homicídios a Edney  somente neste ano. Ainda segundo o delegado Gilmar, ele saiu recentemente da cadeia, mas já vinha traficando e ordenando crimes de dentro do presídio. Ele se concentrava no bairro de Águas Compridas, mas suas ações se estendem a outros bairros olindenses. "Ele é o dono de Águas Compridas, mas ele atua no Alto Sol Nascente, Córrego do Abacaxi, av. Presidente Kennedy, Alto da Bondade."

Mas a Polícia conseguiu detê-lo após a morte de Jefferson Silva de Souza, assassinado a pedido de Luana Mendonça dos Santos, uma das gerentes do tráfico do Gringo, junto com Anderson Silva dos Santos, o "negão", Bruno e o próprio Jefferson.

Leia também:
Suspeitos de tráfico são presos em flagrante em Moreno
Suspeito de tentativa de homicídio é preso em Olinda

O delegado explicou que Edney, Luana e Anderson já foram capturados pela Polícia, mas ainda resta encontrar Bruno, cujo mandado de prisão preventiva já foi expedido. A motivação por trás do pedido de Luana seria seu desejo de casar com Bruno, acontece que este, junto com o Jefferson saiam à farra com o lucro do tráfico, levando ao adiamento do casamento prometido. Luana informou Edney sobre o que estava acontecendo atribuindo a culpa a Jefferson.

Veja também

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19
Coronavírus

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19

Covid-19: governo reconhece calamidade pública na Bahia e no Ceará
Saúde

Covid-19: governo reconhece calamidade pública na Bahia e no Ceará