A-A+

Três pessoas são detidas em protesto na sede da embaixada da Venezuela nos EUA

Entre os presos, a polícia algemou um ativista idoso que estava tentando jogar pacotes de comida no complexo

Protestos na embaixada da Venezuela nos EUAProtestos na embaixada da Venezuela nos EUA - Foto: ALEX WONG / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP

A polícia prendeu três pessoas nesta quinta-feira, quando um grupo de venezuelanos, insatisfeitos pelo fato de ativistas norte-americanos ocuparem a embaixada por mais de duas semanas, atacaram militantes de esquerda que queriam levar alimentos para o prédio.

A polícia algemou um ativista idoso que estava tentando jogar pacotes de comida no complexo e também um venezuelano que tentou impedi-lo. Em seguida, outro ativista também foi preso.

Leia também:
Maduro e militares declaram ofensiva contra 'golpistas' na Venezuela
Sobe para 4 número de manifestantes opositores mortos na Venezuela
Corte venezuelana ordena prisão do opositor Leopoldo López 

"Eles prenderam três, dois dos nossos e um deles", disse Medea Benjamin, membro do Code Pink, uma das organizações que formaram o Coletivo para a Proteção da Embaixada, que há duas semanas e meia ocupa a sede diplomática, com o consentimento do governo de Nicolás Maduro.

Os ativistas querem impedir a entrada da delegação do líder da oposição Juan Guaidó, reconhecido pelos Estados Unidos e mais de 50 países como presidente interino.

Benjamin explicou que os dois ativistas estavam tentando entregar comida para as pessoas dentro da embaixada quando foram presos.

Mara Verheyden-Hilliard, advogada da Associação pela Justiça Civil, confirmou à AFP que as três pessoas foram presas.

"Não sabemos se eles serão processados", disse.

Desde a rebelião de soldados contra Maduro na terça-feira, houve protestos espontâneos de venezuelanos que querem recuperar a sede diplomática.

O prédio de quatro andares, localizado no elegante bairro de Georgetown, está fechado ao público desde que a maioria dos diplomatas deixou o país depois de perder seu status, depois que os Estados Unidos se tornaram um dos primeiros países a reconhecer Guaidó.

O governo venezuelano exigiu nesta quinta-feira que os Estados Unidos protejam sua embaixada.

"Exigimos que o Departamento de Estado dos EUA cumpra com sua obrigação como signatários da Convenção de Viena sobre Relações Diplomáticas e proteja o edifício da antiga embaixada da Venezuela em Washington, assim como nosso governo protege suas instalações em Caracas", tuitou o chanceler, Jorge Arreaza.

Veja também

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano
Coronavírus

Pandemia impede realização de mais de 1 milhão de cirurgias em um ano

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais
RECIFE

Grupo Ruas e Praças realiza mediação de conflito em atendimentos presenciais