Três trabalhos da Folha de Pernambuco ganham prêmios jornalísticos

Foto e vídeo de Ed Machado levaram Cristina Tavares, e reportagem de Tatiana Notaro ganhou concurso de jornalismo literário esta segunda (10)

Ed Machado Ed Machado  - Foto: Paullo Allmeida/ Folha de Pernambuco

Três trabalhos da Folha de Pernambuco ganharam prêmios jornalísticos em Pernambuco nesta segunda-feira (10). Uma fotografia e um vídeo, ambos produzidos pelo fotógrafo Ed Machado, levaram o 23º Prêmio Cristina Tavares de Jornalismo. Uma reportagem de Tatiana Notaro desbancou os concorrentes no 2º Prêmio de Jornalismo Literário de Pernambuco. Os vencedores foram anunciados em solenidade no Cinema São Luiz, na Boa Vista, área central do Recife.

Em sua segunda edição, o concurso de jornalismo literário foi vencido na categoria profissional pela reportagem "O Sexagenário Sertão de Guimarães", de Tatiana Notaro. A repórter aproveitou a efeméride da obra "Grande Sertões: Veredas", de Guimarães Rosa, que completou 60 anos em 2016, para desenvolver a reportagem.

"Fui conversar com um professor da UFPE [Universidade Federal de Pernambuco] sobre o livro, que é muito denso, e ele começou a me explicar que o maior recado de Guimarães Rosa era que o Sertão está em toda parte, então, eu me peguei nisso. Escolhemos quatro sertões humanos: o matador de aluguel e a violência dele; o homossexual, porque a questão da homossexualidade no livro é muito forte por causa do personagem de Diadorim; uma mulher tetraplégica e a solidão que aflige todo mundo; e o morador de rua, que representa a cegueira da sociedade. A principal ideia do especial é que as pessoas percebam que não é um livro difícil, que quem se empodera dele vai ter um livro novo na mão sempre”, comentou Notaro.

A repórter agradeceu ao parceiro de reportagem, o fotógrafo Alfeu Tavares, à editora Karla Veloso, ao editor de arte Christiano Mascaro e à editora-chefe Patrícia Raposo. Realizado pela Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope) e pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), o prêmio tem patrocínio da Cepe. Ao todo, dez trabalhos foram inscritos. 

Ed Machado foi à final, na categoria Estudante, com a fotografia "Além dos Materiais Plásticos", e com o vídeo exibido no portal FolhaPE "Reeducandos do Presídio de Igarassu produzem artesanato para a Fenearte", editado por André Amorim. “Fico feliz pelos dois trabalhos premiados que tratam do que mais admiro: fotojornalismo e videojornalismo. Um incêndio na mata e o importante trabalho do Corpo de Bombeiros representados numa imagem, e o belo trabalho dos reeducandos do Presídio de Igarassu no processo de ressocialização. Agradeço aos colegas da Folha que tanto me ensinam diariamente e à minha família por todo apoio”, comemorou o repórter fotográfico.

No Cristina Tavares, a Folha de Pernambuco também foi à final na categoria Fotojornalismo, com a imagem realizada por Alfeu Tavares "Um Dos Sonhos", e, na categoria Reportagem em texto, com "Restou A Terra Seca", de Marcílio Albuquerque. Ao todo, o prêmio teve 147 trabalhos inscritos, sendo 41 na categoria Estudante e 106 profissionais.

O 23º Prêmio Cristina Tavares, também realizado pelo Sinjope e Fenaj, é o mais importante da área em Pernambuco. A premiação tem patrocínio da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) e apoio do Governo de Pernambuco, da Assembleia Legislativa de Pernambuco, da Câmara Municipal do Recife e das prefeituras do Recife, de Jaboatão dos Guararapes e de Garanhuns.

Leia também:
Folha de Pernambuco tem cinco trabalhos nas finais de prêmios de jornalismo



Veja também

Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado (23)
Coronavírus

Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado (23)

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson
Coronavírus

Variante britânica do coronavírus aponta para maior mortalidade, diz Boris Johnson