Tribuna da Câmara de Vereadores do Rio ganha nome de Marielle

Placa fixada no interior da tribuna carrega frase dita pela vereadora em discurso no Dia Internacional da Mulher: 'Não serei interrompida. Não calarão a minha voz'

A vereadora Teresa Bergher, uma das autoras da proposta que deu o nome de Marielle Franco à Câmara Municipal do Rio de JaneiroA vereadora Teresa Bergher, uma das autoras da proposta que deu o nome de Marielle Franco à Câmara Municipal do Rio de Janeiro - Foto: Julia Maia/Câmara Municipal do Rio

A tribuna da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro ganhou, nesta quarta-feira (5), o nome da vereadora Marielle Franco, assassinada junto com o motorista Anderson Gomes, na noite de 14 de março deste ano, centro do Rio. Eles foram mortos a tiros, quando voltavam para casa, na Tijuca, após participar de um evento no bairro do Estácio.

A placa, com a frase "Não serei interrompida. Não calarão a minha voz", foi colocada na tribuna quase nove meses depois da morte de Marielle, atingida por quatro tiros, todos na região da cabeça. Os autores do crime até agora não foram identificados. A vereadora, eleita pelo PSOL, disse essa frase em discurso na tribuna da Casa no dia 8 de março deste ano, dia em que se comemorava o Dia Internacional da Mulher.

Para a vereadora Rosa Fernandes (MDB), dar o nome de Marielle à tribuna é uma maneira de perpetuar a imagem dela. "É um espaço onde fazemos os discursos e damos nossa opinião sobre a cidade. E é uma forma de dizer que não vão calar a nossa voz. Foi uma ideia que tivemos para homenagear essa mulher guerreira, defensora dos direitos humanos", afirmou.

Leia também:
Raquel Dodge apela para que assassinato de Marielle seja solucionado
Caso Marielle reflete falhas de investigações pelo país
Jungmann: investigação do caso Marielle rompeu aliança satânica no Rio
Jungmann: envolvimento de poderosos na morte de Marielle é certeza


A homenagem a Marielle foi proposta por vereadoras de vários partidos: Tânia Bastos (PRB), Luciana Novaes (PT), Teresa Bergher (PSDB), Vera Lins (PP) e Veronica Costa (MDB), além de Rosa Fernandes.

Veja também

Governo afirma ao STF que 72% dos índios já receberam as duas doses da vacina contra a Covid-19
Vacinação

Governo afirma ao STF que 72% dos índios já receberam as duas doses da vacina contra a Covid-19

Novo lote com 529 mil doses de vacina da Pfizer chega ao Brasil
Coronavírus

Novo lote com 529 mil doses de vacina da Pfizer chega ao Brasil