Estados Unidos

Trump aparecerá na Geórgia, em aposta pelo controle do Senado americano

O presidente vai subir ao palco às 00h00 GMT de domingo na cidade de Valdosta

Donald TrumpDonald Trump - Foto: POOL / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deixará Washington neste sábado (5) em sua primeira aparição política desde sua derrota eleitoral para Joe Biden, para fazer campanha na Geórgia, onde duas eleições de segundo turno decidirão o destino do Senado. 

O presidente vai subir ao palco às 00h00 GMT de domingo na cidade de Valdosta, um mês antes das eleições de 5 de janeiro e menos de um mês depois de ser declarado o perdedor da corrida presidencial.    

No entanto, em um momento em que a maioria dos presidentes em fim de mandato estariam trabalhando para polir seu legado, Trump, que ainda não admitiu a derrota, mal tem saído da Casa Branca. Ele também enviou uma série de tweets raivosos desafiando o resultado e exigindo uma defesa dos republicanos de todo o país. Isso inclui o partido na Geórgia, onde Biden venceu por cerca de 12.000 votos.

Há muitas coisas em jogo no segundo turno das eleições para o Senado neste estado do sul. O ex-presidente Barack Obama deixou isso claro em um comício virtual na sexta-feira, quando disse que as eleições na Geórgia "acabarão por determinar o curso da presidência de Biden". 

Se os candidatos democratas Raphael Warnock e Jon Ossoff derrotarem os senadores republicanos Kelly Loeffler e David Perdue, o Senado será dividido igualmente 50-50, o que significa que o vice-presidente democrata Kamala Harris terá o voto decisivo, conforme ditado pela Constituição.

A corrida atraiu enorme atenção, com doadores de todo o país distribuindo centenas de milhões de dólares e com figuras tão proeminentes como Obama, o vice-presidente Mike Pence - e agora o próprio Trump - lutando para aumentar a participação eleitoral.

- Mensagens contraditórias -

Mas Trump se colocou em uma situação difícil. Desde que Biden venceu a eleição de 3 de novembro, o presidente tem atacado repetidamente e sem provas o sistema eleitoral dos EUA, acusando-o de "fraude". 

Apesar de uma série de reveses na justiça, o presidente e seus advogados propagaram teorias de conspiração (incluindo uma envolvendo o falecido presidente venezuelano Hugo Chávez) para explicar a vitória de Biden.

Agora, analistas dizem que isso poderia ter criado um monstro político, minando a fé eleitoral dos eleitores da Geórgia exatamente quando ele precisa deles até 5 de janeiro.

- Números recordes do vírus -

Há indignação sobre Trump realizar um comício massivo no dia em que a manchete principal do Atlanta Journal Constitution diz: "Estado atinge recorde de vírus em um dia". 

O uso de máscara será obrigatório e será a temperatura dos participantes será verificada, detalhou o canal de televisão local WALB. 

A capacidade de Trump de entusiasmar seus seguidores continua poderosa. Mas muitos eleitores, mesmo no conservador estado da Geórgia, estão expressando cansaço diante do drama constante que rodeia o presidente.

Para os analistas, Trump pode ter uma diferença crucial em Valdosta, se decidir repetir seu discurso de reclamações sobre a eleição ou, em vez disso, se concentrar em abordar a importância de manter o controle do Senado. 

"Seria bom para a campanha se (seu discurso) fosse sobre Perdue e Kelley Loeffler e como precisamos votar", ressaltou Spud Bowen, um empresário republicano de Tifton, Geórgia, ao Valdosta Daily Times. "Mas não estou com vontade de ouvir mais insultos", acrescentou. bbk/st/mps/yow/bn

Veja também

Municípios dão início à etapa de vacinação contra Covid-19 para idosos. Saiba como fazer cadastro
Saúde

Municípios dão início à etapa de vacinação contra Covid-19 para idosos. Saiba como fazer cadastro

Bolsonaro participa de celebração nacional da Índia na embaixada
Governo Federal

Bolsonaro participa de celebração nacional da Índia na embaixada