EUA

Trump diz que homens podem se sentir 'insultados' se Biden optar por uma mulher como vice

Na história dos Estados Unidos houve apenas duas candidatas à vice-presidência

Presidente dos Estados Unidos, Donald TrumpPresidente dos Estados Unidos, Donald Trump - Foto: Drew Angerer/Getty Images via AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (11) que alguns homens podem se sentir "insultados" pela promessa feita por seu rival democrata, Joe Biden, de escolher uma mulher como candidata à vice-presidência.

"Ele se cercou de um certo tipo de gente", disse Trump em uma entrevista nesta manhã à rádio Fox Sports. "Algumas pessoas diriam que os homens se sentem insultados por isso e outras pessoas acham que está tudo bem", continuou o presidente. 

O candidato democrata, que será nomeado oficialmente na Convenção que ocorrerá na próxima semana, disse em março que deseja um governo que reflita a diversidade do país e prometeu que vai nomear uma mulher para concorrer à vice-presidência. A expectativa sobre quem será a escolhida continua até hoje. 

Na história dos Estados Unidos houve apenas duas candidatas à vice-presidência, a democrata Geraldine Ferraro em 1984 e a republicana Sarah Palin em 2008, mas nenhuma chegou à Casa Branca, assim como nenhuma mulher foi eleita presidente do país. 

Na entrevista, Trump elogiou seu vice, Mike Pence, mas sentenciou o debate afirmando que "as pessoas não votam por um vice-presidente". "Pode escolher George Washington para ser vice-presidente. Também colocar Abraham Lincoln, trazê-lo de volta da morte. Não se vota em um vice-presidente", defendeu Trump, usando como exemplo esses presidentes emblemáticos da história dos Estados Unidos. 

Veja também

Brasil registra 858 mortes e 39.797 infectados pelo coronavírus nas últimas 24h
Coronavirus

Brasil registra 858 mortes e 39.797 infectados pelo coronavírus nas últimas 24h

Sem sugerir datas, Ministério da Saúde orienta escalonar horários de aula e intervalo nas escolas
educação

Sem sugerir datas, Ministério da Saúde orienta escalonar horários de aula e intervalo nas escolas