Trump espera ter vacina contra Covid-19 até o fim do ano

De acordo com o chefe do Executivo estadunidense, a produção iniciou em janeiro a partir do código genético obtido

Donald Trump, presidente dos EUADonald Trump, presidente dos EUA - Foto: Mandel Ngan / AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta sexta-feira (15) que espera ter uma vacina contra o novo coronavírus até o fim do ano, ou, "quem sabe, antes".

"Estamos tentando tê-la até o final do ano, talvez mais cedo. Estamos indo muito bem", disse o presidente em uma entrevista coletiva no jardim da Casa Branca.

Leia também:

Trump diz não querer conversar com presidente chinês no momento

Teste para Covid-19 elogiado por Trump geraria muitos falsos negativos, diz estudo 

Os Estados Unidos são o país mais afetado pela pandemia, com quase 86.000 mortes.

Trump disse que espera obter bons resultados "muito em breve" e que a última coisa que as empresas buscam é obter lucro, sem dar detalhes sobre qual será o preço da vacina e como será regulamentado o acesso à vacina.

Na quinta-feira, a Agência Europeia de Medicamentos estimou que, em um cenário otimista, a vacina levará um ano.

Para a questão de como uma vacina pode ser alcançada em um período tão limitado, Trump respondeu que o trabalho começou em janeiro, quando a sequência genética do vírus foi obtida.

"Não quero que as pessoas pensem que tudo depende de uma vacina, mas isso seria formidável", disse Trump, que mais tarde reiterou que o país está reabrindo de qualquer maneira, referindo-se à contínua falta de controle em várias regiões.

"Criamos a melhor economia da história do mundo e vamos fazer isso novamente. Eles vão começar a ver isso no quarto trimestre ou até mais cedo", disse o presidente, que buscará a reeleição em novembro.

Mas os indicadores mais recentes mostram que a maior economia do mundo está em má situação e pode não se recuperar rapidamente, mesmo quando forem levantadas as medidas de confinamento da população.

O discurso de Trump foi interrompido por buzinas de caminhoneiros estacionados há dias perto da Casa Branca para exigir uma reavaliação das tarifas do transporte de cargas.

"É um sinal de amor", comentou o presidente americano sobre o "barulho maravilhoso" das buzinas. "Estão se manifestando em favor do presidente, e não contra." 

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

Veja também

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro
Política

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados
Educa Mais

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados