Trump estuda restringir voos do Brasil por causa de 'grande surto' de coronavírus

Ele disse que deverá impor medidas para obrigar os turistas brasileiros a passarem por testes rápidos de coronavírus

Donald TrumpDonald Trump - Foto: Drew Angerer / Getty Images North America / A

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta terça-feira (28) que o Brasil está enfrentando um "grande surto" de coronavírus e que seu governo estuda criar restrições de viagens ao país por causa disso.

Ele disse que provavelmente irá impor medidas para obrigar os turistas brasileiros a passarem por testes rápidos de coronavírus e a terem suas temperaturas medidas antes de embarcarem em direção ao território americano.

Trump também deixou claro que ainda estuda exatamente quais serão as regras e que uma opção é banir completamente a entrada de voos provenientes do Brasil, como ele já fez com a China e com a Europa. Isso, porém, poderia afetar a indústria do turismo, especialmente na Flórida, afirmou ele.

Leia também:
Governo amplia por mais 30 dias restrição para entrada de estrangeiros por via aérea no Brasil
Brasileiros recebem ajuda de US$ 1.200 do governo Trump contra perda de renda do coronavírus


O americano já tinha afirmado que poderia restingir os voos brasileiros no final de março, mas acabou não impondo nenhuma medida.

As declarações foram dadas durante um encontro entre o presidente e o governador da Flórida, o também republicano Ron DeSantis, na Casa Branca.

Durante a entrevista coletiva, DeSantis foi questionado se estava preocupado com a situação de disseminação do coronavírus na América Latina, já que muitos moradores da região costumam viajar para a Flórida.

O governador disse que que estava atento ao problema e afirmou que espera ver em breve um aumento no número de casos no Brasil. Na sequência, ele sugeriu que Trump obrigasse viajantes da região a realizarem os testes antes de embarcarem para os EUA.

"Você quer cortar [os voos com] o Brasil?", perguntou Trump, interrompendo o aliado.

"Não necessariamente cortar, mas se você vai voar para Miami, então a companhia aérea deveria te dar um teste rápido e só então deixar você entrar no avião", respondeu DeSantis.

"Você quer banir a entrada de alguns países?", prosseguiu o presidente.

"Se eles ameaçarem os Estados Unidos, com certeza", respondeu o governador. "Nos avise", completou Trump.

Na sequência da entrevista, outro jornalista perguntou diretamente ao presidente se ele iria determinar a obrigatoriedade de testes rápidos para todos os viajantes internacionais, mas ele respondeu citando apenas o Brasil.

"O Brasil está tendo um grande surto. Eles foram por um caminho diferente da maioria da América do Sul. Quando você olha os gráficos, infelizmente percebe o que está acontecendo com o Brasil", afirmou ele.

"Estamos observando a situação lá e em coordenação com os governadores, especialmente com Ron, vamos tomar uma decisão em breve", completou.
Aliado de Trump, Jair Bolsonaro tem sido um dos poucos líderes da América Latina - e do mundo - a minimizar a gravidade da Covid-19 e chegou a compará-la a uma "gripezinha". O americano chegou a minimizar o risco da pandemia em seu início, mas depois mudou de posição.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro
Política

Grande parte dos índios não sabe o que é dinheiro, diz Bolsonaro

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados
Educa Mais

Fies 2021.2: estudantes já podem conferir se foram pré-selecionados