A-A+

TSE vai investigar decisões sobre fiscalização em universidades

No início da sessão do TSE desta tarde, última antes do segundo turno das eleições, Rosa Weber defendeu liberdade de manifestação de pensamento nas universidades

Rosa WeberRosa Weber - Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, anunciou há pouco que a Justiça Eleitoral vai investigar a conduta dos juízes que autorizaram ações policiais e de fiscais em universidades públicas para apurar suposta realização de propagandas eleitorais irregulares.

No início da sessão do TSE da tarde desta sexta (26), última antes do segundo turno das eleições, a ministra defendeu liberdade de manifestação de pensamento nas universidades e disse que eventuais excessos devem ser investigados.

Leia também:
Universidades de todo o País são alvo de ações policiais; críticos apontam censura
Entenda as ações da Justiça Eleitoral em universidades públicas
Gilmar Mendes pede 'cautela' em ações da Justiça em universidades
'A educação não vai se calar', diz Haddad sobre repressão em universidades


"O TSE está adotando todas as providências cabíveis, por meio da Corregedoria-Geral da Justiça Eleitoral, para esclarecer as circunstâncias e coibir eventuais excessos no exercício de poder de polícia eleitoral no âmbito das universidades de diversos estados da Federação.", disse a ministra.

Durante a sessão, a procuradora-geral Eleitoral, Raquel Dodge, também anunciou que entrou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para assegurar a liberdade de reunião e de manifestação nas universidades públicas.

Segundo Rosa Weber, a Justiça Eleitoral deve coibir a propaganda eleitoral irregular, mas a restrição não alcança a liberdade de expressão.

"A aplicação do poder de polícia da Justiça Eleitoral tem por finalidade evitar o desequilíbrio de forças no pleito eleitoral, assegurando, além do princípio da isonomia, o pleno exercício da liberdade de expressão. A prévia e escrita ordem da Justiça Eleitoral é pressuposto para toda e qualquer constrição de direito. Eventuais excessos merecem a devida apuração", disse a ministra.

Veja também

O corpo recupera ao menos 28% das calorias gastas no treino, diz novo estudo; entenda
SAÚDE

O corpo recupera ao menos 28% das calorias gastas no treino, diz novo estudo; entenda

Barroso elogia proposta de reforma eleitoral aprovada pelo Congresso
REFORMA ELEITORAL

Barroso elogia proposta de reforma eleitoral aprovada pelo Congresso