Tudo pronto para o encontro das Nações de maracatu

A noite desta terça (6) foi para os últimos ajustes para o espetáculo Tumaracá,que acontece na quinta (8), a partir das 18h, no Marco Zero

Treze Nações participaram do ensaio geral do TumaracáTreze Nações participaram do ensaio geral do Tumaracá - Foto: Ed Machado / Folha de Pernambuco

As treze Nações de maracatu que compõem o espetáculo Tumaracá finalizaram, na noite desta terça (6), a maratona de ensaios antes da grande apresentação de encerramento da semana pré-Carnaval do Recife. O espaço escolhido foi o Marco Zero, onde os integrantes voltam a se apresentar oficialmente na quinta (8), a partir das 18h.

Os cerca de 700 batuqueiros vão se concentrar na rua da Moeda e seguem em cortejo até o palco principal. Antes da apoteose, a passagem das Nações será precedida pela cerimônia de lavagem da avenida Rio Branco, numa reverência ao povo negro. A consagração é um ato inédito no Carnaval do Recife, e será conduzida por 24 agremiações de afoxés do Recife.

“Todos esses ensaios fortaleceram nosso encontro, e era isso que a gente queria. Não foi nem um ensaio geral, é mais um ajuste de microfone, porque eles já estão mais que ensaiados. A mudança do dia da apresentação, que, a princípio, foi uma polêmica, hoje a gente agradece, porque as Nações de fato ganharam um dia só para elas. Antes, a gente corria e perdia tempo do espetáculo, porque fazíamos parte de um espetáculo maior que era o espetáculo de abertura. Só tínhamos de 40 minutos a uma hora. Hoje, temos três horas de espetáculo com tranquilidade”, avaliou a diretora musical do Tumaracá, Paz Brandão.

Ela destacou a construção coletiva do espetáculo, tanto na formulação da dinâmica do show, como na escolha das participações especiais de Isaar, Guitinho de Xambá e Zé Brown. “Nossa ideia é fazer maracatu para o mundo ver, e quem vier na quinta-feira vai entender o que é o maracatu nação e as suas possibilidades”, finalizou.

Entre os mestres, não faltaram referências e saudosismo em relação ao músico Naná Vasconcelos, falecido em 2016. Naná liderou o encontro de batuqueiros por 15 anos, na abertura do Carnaval do Recife. “Para a gente, é uma honra estar participando mais um ano dessa história bonita que Naná deixou para a gente dar continuidade. Estamos ansiosos porque falta pouco”, disse Alessandro Andrade, da Nação Maracatu de Baque Virado Tupinambá.

O público que acompanhou o acerto do show também estava ansioso. “Eu gosto de folia em qualquer hora ou lugar. Não vejo problemas na mudança de dia dos maracatus, já que a cultura pernambucana foi mantida”, opinou a psicóloga Auricélia Moura, 44.


Veja também

Mesmo com novos leitos, redes pública e privada de Pernambuco estão sob pressão
COVID-19

Mesmo com novos leitos, redes pública e privada de Pernambuco estão sob pressão

Recife vai integrar consórcio de prefeituras para aquisição de vacinas, anuncia João Campos
PANDEMIA

Recife vai integrar consórcio de prefeituras para aquisição de vacinas, anuncia João Campos