Túnel da Abolição, na Madalena, terá nova reforma

Serviços na passagem subterrânea no bairro da Madalena, no Recife, visam resolver problemas de infiltração e melhorar manobras na saída

Do projeto pensado há mais de cinco anos, apenas parte foi implantada com alguns problemasDo projeto pensado há mais de cinco anos, apenas parte foi implantada com alguns problemas - Foto: Anderson Stevens

O túnel da Abolição, no bairro da Madalena, Zona Norte do Recife, ganhará novo revestimento nas paredes internas e uma maior distância até a bifurcação que surge após seu fim. Atualmente, a divisória está instalada a menos de 40 metros da subida da passagem subterrânea. Já a intervenção interna visa diminuir o problema crônico das infiltrações. Segundo a Secretaria das Cidades (Secid), as medidas, que começaram em fevereiro, serão implantadas até julho. Não haverá interdições.

A nova bifurcação vai gerar um pontilhão sobre o canal do Prado dando mais espaço para manobras. “Isso tornará o encontro com a bifurcação mais suave, oferecendo mais segurança aos motoristas na saída do túnel”, conta o secretário executivo de Mobilidade da Secid, Marcello Amynthas.

Quem entra no túnel dá de cara com água minando das paredes e do chão, além de mofos e bolores causados pelas infiltrações. Isso porque existe um lençol freático na área controlado por um sistema de bombeamento contínuo. Com o novo revestimento, somado à instalação de canaletas, espera-se o fim desse problema. O serviço completo está orçado em R$ 1,4 milhão, com recursos do Governo do Estado.

Leia também:
Túnel da Abolição terá nova reforma
Obras do Túnel da Abolição terão nova etapa


A obra inteira, do equipamento às intervenções no entorno, é controversa. De todo o projeto pensado há mais de cinco anos, apenas o túnel, a escada e parte da praça projetada sobre a passagem subterrânea foram entregues. Do elevador planejado, só foi feito o fosso. E a pracinha tem sinais de abandono. Havia ainda a previsão de uma parada de ônibus dentro do equipamento, cancelada por questões operacionais.

As obras estavam sob responsabilidade do Consórcio Mendes Jr./Servix - o mesmo que tocava a construção dos Terminais de Integração da 3ª e 4ª perimetrais da avenida Caxangá. Como o Consórcio abandonou os trabalhos, a Secid precisou levantar estudo dos serviços remanescentes para dar prosseguimento. Sobre a urbanização da praça, a Secretaria explicou que está finalizando um projeto de iluminação e, após aprovação dos órgãos, realizará o processo licitatório.

Moradora da Madalena, Vânia Oliveira, 51 anos, não vê muita diferença de mobilidade no bairro desde a implantação do equipamento. “É tudo engarrafado. Todo dia, toda hora. Fizeram esse túnel para melhorar a Caxangá. Não acho que melhorou tanto”, opinou.

Veja também

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19
Coronavírus

Pernambuco registra mais 99 casos e 12 mortes por Covid-19

Covid-19: governo reconhece calamidade pública na Bahia e no Ceará
Saúde

Covid-19: governo reconhece calamidade pública na Bahia e no Ceará