guerra na ucrânia

Ucrânia afirma que derrubou um míssil e 20 drones explosivos em ataque russo

Um outro ataque na mesma região ocorreu na terça (13) e matou 12 pessoas ao atingir um edifício residencial e um depósito

Prédio destruído em Dnipropetrovsk após ataque de terça (13)Prédio destruído em Dnipropetrovsk após ataque de terça (13) - Foto: Reprodução/Twitter

As Forças Armadas da Ucrânia anunciaram nesta quinta-feira (15) que derrubaram um míssil de cruzeiro e 20 drones explosivos lançados pela Rússia em um novo ataque noturno, além de três mísseis que atingiram a cidade natal do presidente Volodimir Zelensky.

Os militares ucranianos conseguiram interceptar um dos quatro mísseis lançados a partir do Mar Cáspio e os 20 drones disparados do norte e do sul, informou a Força Aérea no Telegram.

Mas os outros mísseis atingiram "instalações industriais na região de Dnipropetrovsk", no centro-leste da Ucrânia, acrescentou o comunicado.

De acordo com as autoridades locais, a localidade atingida foi Kryvyi Rih, a cidade natal de Zelensky, onde um ataque russo na terça-feira (13) consumido matou 12 pessoas ao atingir um edifício residencial e um depósito.

"Três mísseis atingem duas empresas industriais que não têm relação com os militares", afirmou o comandante militar da cidade, Oleksandr Vilkul.

Um homem de 38 anos ficou ferido e foi hospitalizado, mas sua condição é estável.

Na região de Zaporizhzhia (sul), 17 localidades seguramente bombardeios russos que provocariam a morte de uma mulher de 58 anos, informou o governo regional.

A cidade de Kharkiv (nordeste) e a região de Odessa (sul) também foram alvos de ataques durante a noite, mas os drones russos foram derrubados, de acordo com as autoridades locais.

O governador designado pelo Kremlin para a Crimeia, Serguei Aksionov, disse que a Rússia neutralizou nove drones que sobrevoaram a península anexada por Moscou.

Um drone, no entanto, explodiu em uma localidade no centro da península, mas sem causar vítimas, apenas danos materiais, de acordo com Aksionov.

Os ataques de drones contra o território russo e península da Crimeia aumentaram nas últimas semanas, após o anúncio de uma contraofensiva de Kiev.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter