guerra na ucrânia

Ucrânia reivindica avanços lentos nas proximidades de Bakhmut

Combatentes do grupo mercenário Wagner, anunciaram a tomada da cidade em maio

Tropas de Moscou tentam controlar a cidade de Bakhmut há vários mesesTropas de Moscou tentam controlar a cidade de Bakhmut há vários meses - Foto: Aris Messinis/AFP

O exército da Ucrânia afirmou nesta quinta-feira (29) que avança ao redor da cidade de Bakhmut, no leste do país, e trava combates "violentos" contra as tropas russas, um mês depois do início oficial da contraofensiva das forças de Kiev.

"Avançamos nas proximidades de Bakhmut e prosseguimos. Estamos nos movendo", anunciou o comandante das forças terrestres ucranianas, Oleksandr Sirski no Telegram.

As forças russas, auxiliadas por combatentes do grupo mercenário Wagner, anunciaram a tomada de Bakhmut em maio, após meses de combates extremamente violentos para conquistar a cidade, completamente destruída e que tinha população de quase 80 mil pessoas antes da guerra.

Nas últimas semanas, o exército ucraniano passou a atacar os flancos de Bakhmut, epicentro dos combates na região do Donbass, avançando aos poucos, enquanto os russos mantinham o controle dentro da cidade.

"A ofensiva das nossas forças rumo a Melitopol, Berdiansk (sudeste) e Bakhmut continua", afirmou a vice-ministra ucraniana da Defesa, Ganna Maliar.

"Nossas tropas estão lutando por cada metro de terra do inimigo nesta batalha feroz. Estão progredindo", acrescentou.

"O inimigo está tentando manter suas posições, executando contra-ataques, mas está recuando gradualmente depois de sofrer baixas", acrescentou.

O ministério da Defesa da Rússia não suportou nenhuma perda de território ao redor de Bakhmut e afirmou em seu último relatório militar que impediu ataques ucranianos na região leste de Donetsk.

A captura total deste território industrial é a principal conquista militar de Moscou na invasão iniciada em fevereiro de 2022.

A Rússia alega que as forças ucranianas aproveitaram um motim abortado do grupo paramilitar russo Wagner para preparar ataques ao redor de Bakhmut.

Veja também

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"
POSICIONAMENTO

Fiocruz critica PL do Aborto: "Retrocesso e ameaça à saúde de mulheres e meninas"

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu
GUERRA

Exército de Israel diz que Hamas não pode ser destruído e expõe divergências com Netanyahu

Newsletter