Guerra na Ucrânia

UE bloqueia exportação de artigos de luxo para a Rússia

Novo Pacote de sanções adiciona 15 pessoas, incluindo os magnatas russos Roman Abramovich e German Khan

União EuropeiaUnião Europeia - Foto: Jorge Guerrero / AFP

A União Europeia (UE) formalizou nesta terça-feira(15) um novo pacote de sanções contra a Rússia pela guerra na Ucrânia, que se concentra no bloqueio às exportações de artigos de luxo e inclui magnatas influentes daquele país entre os sancionados.

A UE proibiu a exportação de champanhe, carros de luxo, roupas de moda, eletrônicos e equipamentos esportivos para a Rússia, entre outros. A lista de itens de luxo proibidos foi publicada no Diário Oficial da União Europeia e fornece detalhes sobre as sanções, que haviam sido anunciadas na semana passada pelos líderes da UE.

O pacote de sanções divulgado adiciona 15 pessoas - incluindo os magnatas Roman Abramovich e German Khan - além de pessoas consideradas "propagandistas" do governo russo. Além disso, pune nove empresas dos setores de aviação, militar, construção naval e construção de maquinaria pesada na Rússia.

Também foram proibidos investimentos e a assistência ao setor de energia da Rússia, além das importações de aço acabado daquele país. As agências de classificação de crédito que operam na UE foram impedidas de avaliar instituições e empresas russas.

A proibição das exportações de artigos de luxo da UE para a Rússia foi um esforço para "tentar atingir a elite, os magnatas" russos, explicou um funcionário europeu, que não quis ser identificado. Ele acrescentou que as vendas totais de bens de luxo da UE para a Rússia somam cerca de 3,5 bilhões de euros por ano, menos de 5% das exportações do bloco nessa categoria de bens.

"Queremos atingir apenas os produtos de luxo, para não atingirmos o russo comum, que deseja comprar eletrodomésticos ou carros de menor valor", ressaltou outro funcionário da UE.

Uma autoridade europeia destacou que essas proibições de exportação já foram impostas contra outros Estados, como a Coreia do Norte, e acrescentou que a medida “tira uma fonte de conforto das elites que apoiam a ação do governo russo na Ucrânia e dispõem de recursos financeiros para usufruir do estilo de vida associado ao consumo de bens de luxo de origem europeia”.

Simultaneamente, no âmbito do fechamento de espaços no território europeu, a chancelaria russa anunciou que havia iniciado o "procedimento de saída" do país do Conselho Europeu, entidade que zela pelos direitos humanos e à qual pertencem tanto a Rússia quanto a Ucrânia.

A economia da Rússia deve se contrair drasticamente devido às sucessivas rodadas de sanções impostas por UE, Estados Unidos e aliados, que têm como alvo principal o Banco Central da Rússia.

Veja também

G7 quer investir US$ 600 bilhões em programa mundial de infraestruturas, diz Biden
Cúpula dos países ricos

G7 quer investir US$ 600 bilhões em programa mundial de infraestruturas, diz Biden

Pernambuco registra, neste domingo (26), quatro mortes e 545 novos casos de Covid-19
coronavírus

Pernambuco registra, neste domingo (26), quatro mortes e 545 novos casos de Covid-19