Notícias

Uefa afirma que Eurocopa pode ter diminuição de cidades-sede

Ceferin diz que três cidades estão problemas para receber competição

Aleksander Ceferin, presidente da UefaAleksander Ceferin, presidente da Uefa - Foto: AFP

A pandemia do novo coronavírus (covid-19) pode fazer com a que a próxima edição da Eurocopa, remarcada para o período de 11 de junho a 11 de julho de 2021, aconteça com menos sedes do que o previsto inicialmente, é o que afirma o presidente da Uefa (entidade máxima do futebol europeu), o esloveno Aleksander Ceferin.

“A ideia é permanecer nas mesmas cidades. Tivemos conversas com nove cidades e está tudo pronto. Com três cidades, temos alguns problemas. Então, discutiremos mais e, a princípio, faremos isso em 12 cidades. Mas, se não [for possível], estamos prontos a fazê-lo em 10, nove ou oito [cidades-sede]”, declarou o dirigente da Uefa.

Leia também:
Uefa confia em disputa da Liga dos Campeões até o final
'Decisão prematura', diz presidente da Uefa sobre fim do Campeonato Francês


A próxima Eurocopa será uma edição festiva da competição. Ela celebra os 60 anos do torneio, e estava programada para acontecer, em 2020, em 12 sedes diferentes no território do Velho Continente.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, no início de março a Uefa emitiu um comunicado adiando a 16ª edição da Eurocopa para o período de 11 de junho a 11 de julho de 2021.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'
Estados Unidos

Biden pede que americanos enfrentem 'lobby das armas'

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU
Repressão a uigures

China enfrenta novas denúncias de abusos, durante visita de comissária da ONU