Notícias

UFPE vai instaurar inquérito para apurar danos ao patrimônio e furtos em centros ocupados

Auditoria da universidade identificou danos e furtos após ocupação de estudantes

Governador participa da abertura do Seminário, nesta quarta (14).Governador participa da abertura do Seminário, nesta quarta (14). - Foto: Hélia Scheppa/PSB

A Reitoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vai instaurar duas comissões de inquérito administrativo para apurar danos ao patrimônio público e furtos ocorridos nas dependências dos dois centros universitários ocupados por estudantes. Uma vistoria no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) e no Centro de Artes e Comunicação (CAC) identificou diversos problemas em dependências das unidades.

Leia mais:
» UFPE abre inquérito administrativo contra alunos que teriam agredido professores


A reportagem tentou entrar em contato com os manifestantes, mas ainda não obteve retorno das ligações. 

De acordo com a reitoria da universidade, foram verificadas pichações no chão, em paredes, portas e colunas, além de arrombamentos de diversas salas de aula e de professores, com destruição de móveis e equipamentos. Nos demais prédios em que também houve ocupação por parte de estudantes, como o Centro de Biociências, Centro de Educação, Centro Acadêmico de Vitória, Centro Acadêmico do Agreste, Departamento de Enfermagem e Núcleo de Educação Física e Desportos, as instalações foram entregues pelos alunos em perfeitas condições de funcionamento.

A abertura de outro inquérito administrativo havia sido anunciada para apurar agressões sofridas por dois professores durante sessão do Conselho Coordenador de Ensino, Pesquisa e Extensão (CCEPE), realizada naquele dia, para ajustar o calendário acadêmico, durante confronto com estudantes.

Veja também

Sul registra neve pela primeira vez no ano; previsão é de mais frio
CLIMA

Sul registra neve pela primeira vez no ano; previsão é de mais frio

Casa Branca diz que ataque a Rafah não cruzou 'linha vermelha' de Biden sobre Gaza; armas americanas
guerra no oriente médio

Casa Branca diz que ataque a Rafah não cruzou 'linha vermelha' de Biden sobre Gaza; armas americanas

Newsletter