Uma formação social e intelectual

É no ensino integral que são formados jovens autônomos, independentes, solidários e produtivos

João Vitor Martins, aluno do terceiro anoJoão Vitor Martins, aluno do terceiro ano - Foto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

Cuidar física, emocional, social, cultural e academicamente de todos os alunos são os pilares que sustentam o ensino integral. É usando esses cinco pontos que as escolas pretendem diminuir os dilemas que os jovens enfrentam no ambiente escolar, até porque, é nessa fase que acontecem as primeiras tentativas de ingresso na vida profissional, mas, ao mesmo tempo, há uma intensificação nas descobertas desses adolescentes, fazendo com que eles precisem de um suporte maior para entender qual direção se quer tomar.

A intenção da integralidade consiste em formar jovens autônomos, independentes, solidários e produtivos, além, é claro, de prepará-los para a vida acadêmica e profissional através do estudo das matérias tradicionais, como Língua Portuguesa, Matemática, Geografia e História. “Nosso principal intuito é trabalhar o aluno como um todo, social e intelectualmente, para que, ao sair da escola, além de possuir uma preparação adequada para adentrar no mundo universitário, ele possa também estar preparado para as situações da vida”, explicou o secretário de Educação do Estado, Frederico Amâncio.

Toda essa metodologia tem rendido bons frutos para as escolas em tempo integral, que hoje já somam 369 unidades, sendo 332 de referência e 37 técnicas. A prova disso é que, de acordo com o Censo Escolar do Governo Federal, realizado no ano passado, a taxa de abandono em escolas em tempo integral caiu para 0,7%, número ainda mais baixo do que os das pesquisas realizadas em 2014/2015, ano em que apontavam 1,3%.

“Nosso papel como escola é fazer com que o aluno se desenvolva por completo, unindo as emoções, experiências e vivências que eles trazem de casa, com os conteúdos escolares que temos que passar para eles, incluindo a área esportiva. Além disso, também buscamos ensinar muito sobre direitos humanos e empreendedorismo, intercalando com projetos que envolvem todas as disciplinas, abrangendo, também, música e teatro”, acrescentou Kátia Dantas, gestora da Escola de Referência em Ensino Médio Santa Ana, localizada no bairro de Jardim Atlântico, em Olinda.

O reflexo desse ensino diferenciado e mais próximo dos alunos fica evidente na diferença com que eles enxergam a escola e na forma que encontram uma nova maneira de ver o mundo. “É no ensino integral que começamos a viver nossa independência e adaptar nossa rotina. É aí que sentimos que crescemos. O mais interessante é poder aprender com trabalhos artísticos, musicais, debates e seminários, o que nos faz ter uma visão ainda mais ampla de conhecimento de mundo”, disse João Vitor Martins, aluno do 3º ano do ensino médio, que revelou ter encontrado uma nova família no ambiente escolar, já que é onde ele passa a maior parte do tempo. “Acabamos tendo uma união maior com os amigos, e eles se tornam nossos irmãos, assim como os professores são como nossos pais. Essa união nos faz aprender”, concluiu.

Ensino Fundamental integral
Antes um benefício voltado apenas para os estudantes do Ensino Médio, o ensino integral agora passará a ser implementado já no Ensino Fundamental. A lei, que amplia o programa de educação, foi aprovada pela Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) no mês de junho deste ano.

A Escola de Referência em Ensino Fundamental Creusa Barreto Dornelas Câmara, localizada no Bairro da Torre, no Recife, é a primeira da rede estadual a oferecer o modelo de tempo integral e de referência no Ensino Fundamental II. A modalidade está sendo propagada de forma gradual, contemplando, a princípio, as turmas do 6º ano.



Em meio a tantas vertentes que envolvem a integralidade de ensino, o principal objetivo do projeto é conseguir melhorar os índices do Ensino Fundamental, implantando e desenvolvendo a educação integral em várias escolas. Fazendo isso, é possível preparar melhor os estudantes para que, ao chegar ao Ensino Médio, eles já estejam adaptados e envolvidos com a rotina e o cronograma de estudos.

Veja também

Inscrições para a Jornada Criativa Como Nasce uma Ideia estão abertas até esta sexta (8)
Educação

Inscrições para a Jornada Criativa Como Nasce uma Ideia estão abertas até esta sexta (8)