A-A+

Representatividade

Unesco e Netflix se unem para buscar cineastas africanos do futuro

Os seis vencedores do concurso receberão US$ 25.000 a título pessoal

NetflixNetflix - Foto: Pixabay

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e a Netflix, gigante do "streaming", lançaram nesta quinta-feira (14) um concurso de curtas-metragens sobre contos populares que busca descobrir "novos talentos" entre jovens diretores da África subsaariana, com o objetivo de financiar seus projetos e transmiti-los na rede americana. 

"A ideia da iniciativa é encontrar grandes talentos, grandes histórias populares que são parte importante da nossa história e herança na África", explicou o diretor de conteúdo original e aquisições da Netflix na África, o nigeriano Ben Amadasun.

Os seis vencedores do concurso receberão US$ 25.000 a título pessoal, além de treinamento com profissionais da indústria. Também terão um orçamento de US$ 75 mil para criar, filmar e produzir seus curtas-metragens.

Os trabalhos serão transmitidos pela Netflix em 2022, disse a Unesco, a agência cultural da ONU, em um comunicado divulgado nesta quinta. 

Os participantes do concurso devem ter entre 18 e 35 anos, viver e serem originários de um país da África subsaariana e ter pelo menos dois anos de experiência profissional na indústria audiovisual.

Veja também

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil
Vacinas

Mais de 3,6 milhões de vacinas da Pfizer chegam ao Brasil

Assessora de Hillary Clinton diz que foi abusada sexualmente por senador
Denúncia

Assessora de Hillary Clinton diz que foi abusada sexualmente por senador