UniFBV realiza debates gratuitos sobre a importância da saúde bucal

O evento ocorrerá nesta quinta-feira (8) e segue até a sexta-feira (9), na sede da instituição

UniFBVUniFBV - Foto: Divulgação / UniFBV

O Centro Universitário UniFBV/Wyden realizará a I Jornada de Saúde Bucal Coletiva gratuita, nestas quinta (8) e sexta-feiras (9), na sede da instituição, no bairro da Imbiribeira, no Recife. O tema do evento é “Desafios Contemporâneos da Saúde Bucal”, e serão ministradas palestras por profissionais referências na área.

Entre os profissionais participantes está o professor Gilberto Pucca, responsável pela implantação do programa Brasil Sorridente, e Fernanda Carrer, professora da Faculdade de Odontologia da USP (FOUSP), instituição referência em ensino e pesquisa na área de Saúde Bucal.

Leia também:
Wehoo Festival aporta no Recife com atrações bastante instigantes
Recife é reconhecido internacionalmente como Cidade do Turismo Criativo


Na abertura, ocorrerá uma palestra sobre “Educação em Saúde Pública”, ministrada pelo professor Felipe Scabar (FOUNIP); depois será a vez de Fernanda Carrer falar sobre “O observatório de recursos humanos em odontologia e o observatório de políticas públicas em saúde bucal: espaços de reflexão, ação, pesquisa e, sobretudo, de fortalecimento da saúde bucal como direito inegociável”.

Na sexta, além da palestra com Gilberto Pucca, haverá uma mesa de discussão com o professor Rogério Zimmermann (UFPE),  Petrônio José de Lima Martelli (UFPE),  Adriano Souto de Santana (delegado representante de Pernambuco para participar da 16ª Conferência Nacional de Saúde) e professor Paulo César Oliveira Santos (Coordenação de Saúde Bucal SES/PE).

Os interessados podem se inscrever online através do site da instituição de ensino.

Veja também

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas
Brasil

Tribunal que julga impeachment de Witzel ouvirá 29 testemunhas

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em Mato Grosso nos últimos 12 anos foi ilegal
Meio ambiente

Quase 90% do desmatamento da Amazônia em MT nos últimos 12 anos foi ilegal