Uso de máscaras passa a ser obrigatório em Belo Horizonte e Rio

A medida entra em vigor no Rio de Janeiro a partir desta quinta-feira (23)

Máscaras caseiras podem combater coronavírusMáscaras caseiras podem combater coronavírus - Foto: André Rodrigues (FramePhoto/Folhapress)

O uso obrigatório de máscaras ou cobertura sobre o nariz e a boca em espaços públicos passou a valer nesta quarta-feira (22) em Belo Horizonte. A medida também entra em vigor no Rio de Janeiro a partir desta quinta-feira (23).

No caso da capital mineira, ela se junta outras cidades do estado que já haviam adotado a medida, como Betim, na região metropolitana, onde o descumprimento pode acarretar multa de R$ 80.

Já no Rio, segundo a prefeitura, por enquanto o que será feito é conscientização da população, que deve se adaptar para, depois, um decreto regulamentar punições às pessoas que circularem sem máscaras.

Leia também:
Brasil passa dos 45 mil casos de Covid-19 e tem quase 3 mil mortes
USP desenvolve método de descontaminação de máscaras hospitalares


Na capital fluminense, as máscaras vão passar a ser obrigatórias durante o deslocamento de pessoas em espaços comuns, como praças e ruas, assim como em estabelecimentos comerciais com funcionamento autorizado, transporte público ou privado e ambientes de trabalho.

Em Minas Gerais, a obrigatoriedade foi estendida a todo o estado por uma lei aprovada na Assembleia Legislativa e sancionada por Romeu Zema (Novo), publicada no último sábado (18).

Ela determina que o uso seja obrigatório em estabelecimentos comerciais, para profissionais que fazem atendimento ao público em órgãos e entidades públicas, que trabalham no sistema penitenciário, socioeducativo, em casas de acolhimento de idosos, em lotéricas ou em serviço de transporte de passageiros.

As máscaras e itens de proteção devem ser fornecidos gratuitamente aos funcionários por entidades e estabelecimentos contemplados no projeto, pela lei estadual. Assim como outros recursos que ajudam na prevenção e combate à disseminação do vírus.

O decreto assinado em BH pelo prefeito Alexandre Kalil (PSD), na semana passada, determina que estabelecimentos comerciais, industriais ou de serviços impeçam a entrada de pessoas sem máscaras ou cobertura no rosto, e que informem em cartazes sobre uso correto e limite do número de pessoas no interior dos locais.

As medidas também valem para equipamentos de transporte público, como o metrô de Belo Horizonte.

Outras capitais do Brasil também adotaram o uso de máscaras, casos de Salvador, Florianópolis e outras.

Acompanhe a cobertura em tempo real da pandemia de coronavírus

 

Veja também

Anvisa autoriza dobrar número de voluntários em testes de vacina da Pfizer no Brasil
Coronavírus

Anvisa autoriza dobrar número de voluntários em testes de vacina da Pfizer no Brasil

Jair Bolsonaro e Donald Trump ganham prêmio Ig Nobel para mais irrelevantes da ciência
Premiação

Jair Bolsonaro e Donald Trump ganham prêmio Ig Nobel para mais irrelevantes da ciência