GARANTIA

Vacinação no Reino Unido não será afetada por medida europeia, diz Londres

Medida da UE tem como objetivo controlar as exportações de vacinas de Covid-19 fora de seu território

Vacina AstraZeneca, da Universidade de Oxford, contra a Covid-19Vacina AstraZeneca, da Universidade de Oxford, contra a Covid-19 - Foto: Oli Scarff/AFP

Uma medida da União Europeia (UE) destinada a controlar as exportações de vacinas de Covid-19 fora de seu território, para compensar atrasos nas entregas, não afetará a campanha de vacinação no Reino Unido - declarou o governo britânico nesta terça-feira (26).

"Estou confiante em que tanto a AstraZeneca quanto a Pfizer (...) vão-nos fornecer as quantidades de que precisamos para cumprir nossa meta em meados de fevereiro", disse o secretário de Estado para a campanha de vacinação, Nadhim Zahawi, à Sky News.

"Tenho certeza de que vão abastecer a União Europeia, o Reino Unido e o restante do mundo", acrescentou, referindo-se à Pfizer.

Este laboratório americano fabrica na Bélgica as vacinas que fornece ao Reino Unido, enquanto o imunizante da AstraZeneca é produzido, principalmente, em fábricas britânicas.

Depois que a Pfizer alertou sobre atrasos na entrega de doses da vacina contra a covid-19, a AstraZeneca fez um anúncio semelhante, na última sexta-feira, causando preocupação e irritação em Bruxelas. 

O laboratório britânico afirmou que suas entregas ao continente serão inferiores ao previsto neste primeiro trimestre, devido a uma "queda do desempenho" de um centro de fabricação de sua vacina. Este fármaco deve receber nesta sexta a aprovação de uso na UE.

Como reação, a Comissão Europeia propôs na segunda-feira aos Estados-membros um "mecanismo de transparência" que obrigue as empresas farmacêuticas a notificarem previamente as autoridades europeias sobre as remessas para países extracomunitários de doses produzidas na UE.

O objetivo é "proteger" os cidadãos da UE. 

"O nacionalismo com as vacinas não é o caminho certo", disse Zahawi à Times Radio.

"Ninguém estará seguro até que todos estejam seguros", acrescentou.

O governo britânico estabeleceu como meta, até meados de fevereiro, ter vacinado todos os maiores de 70 anos, profissionais de saúde e pessoas com saúde frágil, no total de 15 milhões de habitantes.

Desde o lançamento de sua campanha de vacinação, em 8 de dezembro passado, quase 6,6 milhões de pessoas receberam a primeira dose.

Veja também

Primeiro caso da Covid-19 no Brasil completa um ano
Pandemia

Primeiro caso da Covid-19 no Brasil completa um ano

Olinda inicia vacinação contra Covid-19 de idosos de 80 a 84 anos
Coronavírus

Olinda inicia vacinação contra Covid-19 de idosos de 80 a 84 anos