acidente

Vazamento de gás deixa 17 mortos em bairro pobre na África do Sul

Gás de óxido de nitrato que vazou de um cilindro é usado para o garimpo ilegal de ouro

Vazamento de gás na África do SulVazamento de gás na África do Sul - Foto: Wikus de Wet/AFP

Ao menos 17 pessoas morreram em um vazamento de gás em um bairro pobre perto de Joanesburgo, na África do Sul, um acidente provavelmente relacionado com a mineração ilegal, anunciou o serviço de emergência nesta quinta-feira (6).

Após um primeiro balanço de mais de 20 mortos, revisado pouco depois para 16 vítimas fatais, Panyaza Lesufi, o primeiro-ministro da província de Gauteng, anunciou a morte de mais uma pessoa, o que eleva o balanço para 17 falecidos até o momento.

O serviço de emergência recebeu uma chamada perto das 20h00 (15h00 no horário de Brasília) por uma explosão de gás no bairro de Angelo, periferia leste de Joanesburgo.

Porém, assim que chegaram ao local, os funcionários detectaram "um vazamento de gás procedente de um cilindro" contendo uma substância "altamente tóxica", indicou o porta-voz do serviço de emergência, William Ntladi.

Ele disse que o incidente teria sido causado por um vazamento de gás de óxido de nitrato de um cilindro usado para o garimpo ilegal de ouro.

Quando chegaram ao local, perto do bairro de classe média de Boksburg, os socorristas encontraram dezenas de pessoas "deitadas por toda a área devido à inalação do gás tóxico", disse Ntladi.

O bairro fica próximo de uma mina espera.

Na África do Sul, com uma taxa de desemprego superior a 32%, dez milhares de garimpeiros ilegais conhecidos como "zama zamas" ("os que tentam a sorte" na língua zulu).

Veja também

G7: Papa Francisco alertará para risco de ser humano se tornar algoritmo com inteligência artificial
MUNDO

G7: Papa Francisco alertará para risco de ser humano se tornar algoritmo com inteligência artificial

Aborto: entenda o projeto de lei que equipara aborto legal a homicídio no Brasil
Brasil

Entenda em 3 pontos o projeto de lei que equipara aborto legal a homicídio no Brasil

Newsletter