namoro às cegas

Veja o que se sabe sobre o caso do atleta italiano enganado por falsa namorada

Amigo de Roberto Cazzaniga, criador de uma vaquinha online que já arrecadou mais de 9 mil euros, o descreveu como uma 'pessoa boa e muito frágil que confiou nas pessoas erradas'

O jogador de vôlei Roberto CazzanigaO jogador de vôlei Roberto Cazzaniga - Foto: Reprodução/ Instagram

Parentes e amigos do jogador de vôlei italiano Roberto Cazzaniga, que foi enganado por 15 anos num golpe de falso namoro na internet, agora tentam ajudá-lo a se reerguer, tanto emocional quanto financeiramente. Isso porque a estelionatária, que usava fotos da modelo brasileira Alessandra Ambrosio, recebeu dele ao longo de todo esse tempo 700 mil euros (R$ 4,3 milhões) sob pretexto de sofrer problemas cardíacos e precisar arcar com despesas hospitalares. O atleta chegou a fazer empréstimos para ajudá-la. Diante da verdade, revelada pela emissora "Mediaset" na terça-feira (23), um amigo dele e ex-colega de time, chamado Danilo Rinaldi, criou no dia seguinte uma vaquinha online no site GoFundMe. Até o fechamento desta reportagem, já haviam sido arrecadados mais de 9 mil euros, cerca de R$ 56 mil. Além disso, Roberto recebeu uma festa de seus amigos e parentes na quadra onde joga para animá-lo.
 

"Roberto é uma pessoa boa e muito frágil que confiou nas pessoas erradas"afirmou Danilo ao GLOBO. "No começo, não foi fácil... depois de 15 anos. Ele estava muito triste, mas agora está aos poucos se sentindo melhor. Claro, depois de toda essa reação midiática, ele sente muita incredulidade, mas apenas precisa de mais tempo para se dar conta (do que aconteceu) e começar de novo, com uma vida nova. Criei a campanha no GoFundMe para ajudar Roberto depois dessa triste história. Ninguém vai devolvê-lo os últimos 15 anos, mas juntos podemos fazer algo para o futuro dele".

Segundo o programa de TV "Le Iene", Roberto, cuja dívida atual com credores é de 60 mil euros (aproximadamente R$ 375 mil), se apaixonou virtualmente pelo telefone após conversar com a estelionatária, apresentada a ele por uma suposta amiga dele. No entanto, ao longo dos últimos 15 anos, o casal nunca se encontrou, pois a golpista criava desculpas para não conhecê-lo pessoalmente. Roberto contou que a voz da mulher ao telefone foi o suficiente para despertar sentimentos.

"Não, nós nunca nos conhecemos. Nunca. Ela deu mil desculpas, como doença e trabalho. E ainda assim me apaixonei por aquela voz, uma chamada após a outra. O contato era apenas no celular, quase que diariamente. Ligava antes de eu ir treinar ou à noite, na hora de dormir. Como ela me tirou todo esse dinheiro? Nem sei ao certo, mil euros aqui, outros dois mil ali... No final chegamos a um total de 700 mil. Passado este pesadelo, é como se tivesse acordado de um coma que me fez perder décadas de vida" contou ao jornal "Corriere Della Sera".

Ao ser confrontado com provas colhidas pelo jornalista Ismaele La Verede, o jogador de vôlei, que atua como oposto pelo clube New Matter, de Castellana Grotte, disse que nunca teve dúvidas sobre a identidade da falsa namorada.

"Nunca tive dúvidas. Para mim, era ela. Aquela voz me deixou à vontade e me confortou. Me pedia dinheiro com desculpas plausíveis, como quando teve que dar um presente, mas o caixa eletrônico foi bloqueado. Mas era impossível vê-la devido às suas constantes viagens de negócios e uma grave doença cardíaca. Ela me dizia que ficava hospitalizada com frequência" disse Roberto.

A reação de sua família e amigos, contudo, foi diferente. Preocupados com a situação de Roberto, eles levaram a história dele ao canal italiano, que foi atrás das envolvidas no golpe, Manuela Passero, a suposta amiga, e Valeria Satto, que se identificava como "Maya", mas com o rosto de Ambrosio. No início, porém, os companheiros do time New Matter faziam piadas sobre a Maya de quem ele falava tanto, mas ninguém conhecia. A insistência em pedir dinheiro, porém, ligou um alerta depois de tantos anos. Quando citavam que o colega poderia ser vítima de um golpe, Roberto negava e trocava de assunto. Foi aí que familiares e amigos decidiram se juntar para fazer uma denúncia e dar início às investigações.

Procurada pelo "Le Iene", Manuela negou que conhecesse o jogador e chegou a correr do cinegrafista. O repórter então mostrou à vítima a declaração da "amiga", deixando-o abalado. Já Valeria, moradora de Sardenha, uma ilha italiana no Mediterrâneo, também tentou se esquivar dos questionamentos do programa televisivo. A reportagem indagou por que ela recebia o dinheiro de Roberto, ao que a acusada, de 50 anos, respondeu: "Enfim, seja o que for que eu fale, acho que você não acredita em mim".

Veja também

Covid-19: Brasil registra 158 óbitos e 37.784 casos em 24 horas
Pandemia

Covid-19: Brasil registra 158 óbitos e 37.784 casos em 24 horas

Martín Guzmán, ministro da Economia da Argentina, renuncia ao cargo
Argentina

Martín Guzmán, ministro da Economia da Argentina, renuncia ao cargo