Notícias

Venezuelanos em Miami celebram levante de militares a favor de Guaidó

'Estamos felizes e esperançosos de que a Venezuela saia dessa ditadura assassina', disse Henry Brito Gonzalez, advogado de 77 anos

Venezuelanos em Nova York (EUA)Venezuelanos em Nova York (EUA) - Foto: Johannes EISELE / AFP

Cerca de 300 venezuelanos celebraram, em Miami, nesta terça-feira, o que esperam que seja "o começo do fim" do presidente Nicolás Maduro, enquanto em Caracas forças leais ao governo e opositores se enfrentam, após a rebelião de um grupo de soldados.

"Estamos felizes e esperançosos de que a Venezuela saia dessa ditadura assassina", disse Henry Brito Gonzalez, um advogado de 77 anos que chegou com sua esposa à Flórida há seis meses porque a situação em seu país "é impossível".

Leia também:
Brasil autoriza asilo a 25 militares venezuelanos em embaixada
Após reunião sobre Venezuela, Bolsonaro encoraja apoio a Guaidó
Mais de três meses de tempestade política na Venezuela com Guaidó 

"Não há água, não há luz, os telefones estão fora do ar, a internet é inútil, chegando em casa sem saber se há comida ou não. Tudo é uma incerteza, uma angústia. Assim não dá para viver", afirmou.

Reunidos esta tarde no restaurante El Arepazo em El Doral, uma cidade do condado onde a diáspora venezuelana se concentra em Miami, os manifestantes cantaram o hino e gritaram pedindo "liberdade! Liberdade!".

A Venezuela ainda estava imersa em uma disputa política na tarde desta terça-feira entre aqueles que apoiam Maduro e os que apoiam o líder da oposição, Juan Guaidó.

Outra manifestante, Maybelys Rodriguez, de 51 anos, disse que é hora de as pessoas saírem às ruas "para que este seja o começo do fim".

Veja também

Estado que "falhou" em execução com injeção letal tem lei que permite "pelotão de fuzilamento"
SERIAL KILLER

Estado que "falhou" em execução com injeção letal tem lei que permite "pelotão de fuzilamento"

Ex-professora doa US$ 1 bilhão para bancar mensalidade de todos os alunos de faculdade de medicina
Estados Unidos

Ex-professora doa US$ 1 bilhão para bancar mensalidade de todos os alunos de faculdade de medicina