Vice de Bolsonaro contradiz Paulo Guedes e defende mais subsídios para a agricultura

"Eu não tenho dúvida de que no momento em que assumirmos o governo e estudarmos o tema os subsídios terão que ser mantidos e terão que expandir mais", disse Mourão

Mourão foi de Brasília a Cascável (PR), nos dias 12 e 13 de setembro, para lançamento da candidatura de Paulinho Vilela (PSL-PR) a deputado federalMourão foi de Brasília a Cascável (PR), nos dias 12 e 13 de setembro, para lançamento da candidatura de Paulinho Vilela (PSL-PR) a deputado federal - Foto: Divulgação

Em debate nesta terça-feira (4) entre os candidatos a vice-presidente da República organizado pela revista Veja, com apoio do Facebook, o general Hamilton Mourão, vice de Jair Bolsonaro (PSL), defendeu o aumento de subsídios para a agricultura.

A afirmação de Mourão entra em contradição com declarações do economista Paulo Guedes, principal conselheiro econômico de Bolsonaro, de que não devem existir subsídios para setores específicos. "A agricultura responde por 25% do PIB do Brasil. Temos que incentivar ainda mais. Eu não tenho dúvida de que no momento em que assumirmos o governo e estudarmos o tema os subsídios terão que ser mantidos e terão que expandir mais", disse Mourão.

Leia também:
Em busca de votos de Bolsonaro, Ana Amélia faz aceno a mais participação do Exército
Não me vejo nesse papel de 'eu sou o terror', diz general vice de Bolsonaro

Na sequência, a contradição nos discursos dos membros da campanha de Bolsonaro foi apontada por Ana Amélia (PP-RS), vice na campanha de Geraldo Alckmin (PSDB). O tucano tem atacado Bolsonaro em sua campanha nos meios de comunicação em busca de votos para chegar ao segundo turno.

Veja também

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio
Amazonas

Juíza federal dá 24h para União e AM apresentarem plano para oxigênio

Sem UTI aérea, ministério só vai transferir de Manaus pacientes de Covid em estado menos grave
Colapso em Manaus

Sem UTI aérea, ministério só vai transferir de Manaus pacientes de Covid em estado menos grave