Vice-prefeito de Paulista resolve seguir carreira-solo

O deputado estadual Francismar Pontes será apoiado em Paulista pelo prefeito Júnior Matuto

Inaldo SampaioInaldo Sampaio - Foto: Colunista

Tem sido comum em Pernambuco o rompimento de prefeitos com seus vices, ou vice-versa, devido à disputa por espaços políticos. O caso mais emblemático ocorreu em São Lourenço, cujo prefeito Bruno Pereira perdeu o apoio do seu vice, Gabriel Neto, 15 dias após a posse de ambos. Agora se soube que em Paulista o vice-prefeito Jorge Carrero distanciou-se do prefeito Júnior Matuto por causa das eleições deste ano e também de 2020. Explica-se: Carrero chegou a Paulista há 30 anos como estagiário do curso de engenharia e adotou a cidade como mãe, embora tenha nascido em Terra Nova. Foi vereador e secretário de três prefeitos, sempre vinculado ao setor de obras: Geraldo Pinho Alves, Antonio Speck e Yves Ribeiro. Em 2012, indicado pelo seu partido (PCdoB), elegeu-se vice de Matuto e reelegeu em 2016. Natural, portanto, a aspiração por voos mais altos - deputado em 2018 e prefeito em 2020. Para isto, no entanto, teria que contar com o apoio do atual prefeito e da cúpula do seu partido. Como não conta com nenhum dos dois, resolveu seguir carreira-solo. Vai se filiar a um partido de oposição para disputar um mandato na Câmara Federal e em 2020, se a conjuntura for favorável, concorrerá ao cargo de prefeito. Matuto vai apoiar João Campos para federal e Francismar Pontes para estadual, podendo apoiar este último à sua sucessão em 2020.

Um novo líder
Surge em Pernambuco um novo líder, que já deu prova do que é capaz nas três últimas eleições à Câmara Federal, sempre com votações crescentes: Eduardo da Fonte (PP). Sem fazer barulho, ele está montando uma “chapinha” para deputado estadual (já tem 43 pré-candidatos) de fazer inveja ao PSB. Sua última conquista foi o ex-vereador (egresso do PT) Josenildo Sinésio.

Renovação > O PT de Pernambuco tem dois novos líderes, que estão caindo nas graças da militância jovem do partido: a vereadora Marília Arraes e o prefeito de Serra Talhada Luciano Duque. Qualquer decisão política sobre o palanque deste ano terá que passar por ambos.

Cor azul > O ex-vereador Sérgio Magalhães acionou o Ministério Público para questionar na justiça o não cumprimento pela PCR do que determina a Lei Orgânica do município: que o azul deve ser a cor predominante nos logradouros públicos da cidade. A PCR pintou a cúpula do “Geraldão” de amarelo (a cor oficial do PSB) e isto seria uma afronta à Lei.

Mistério > O prefeito de Afogados da Ingazeira e presidente da Amupe, José Patriota (PSB), ainda faz mistério sobre seus candidatos à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa. Inclina-se para João Campos (federal) e para ele próprio (estadual). Mas só em abril é que decidirá.

Pode vir > O prefeito Geraldo Júlio (PSB) tem a mesma opinião de Jarbas Vasconcelos (MDB) sobre o retorno do PT à Frente Popular: “Quer vir, venha!”. Ele ficou feliz com elogios feitos por Humberto Costa (PT) ao PSB (“faz oposição a Temer e está contra as reformas”) e enxerga o campo aberto para uma reaproximação entre os dois partidos.

Férias > A partir de amanhã, o redator desta coluna entrará em gozo de férias e só retornará ao batente no início de março. Bom carnaval para todos!

Veja também

Mulher de réu diz que instalação de espuma inflamável foi indicação de engenheiroBoate Kiss

Mulher de réu diz que instalação de espuma inflamável foi indicação de engenheiro

CVM abre novo processo contra Petrobras após declaração de BolsonaroPetrobras

CVM abre novo processo contra Petrobras após declaração de Bolsonaro