Vídeo mostra vigilante atirando para o alto em discussão no TI Recife; assista

Usuário teria se recusado a pagar passagem para entrar no metrô e iniciou a discussão, segundo o Grande Recife Consórcio

Confusão ocorreu no dia 31 de agostoConfusão ocorreu no dia 31 de agosto - Foto: Reprodução/Vídeo

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra um vigilante da empresa BBC, responsável pela vigilância dos Terminais Integrados, atirando para o alto em uma discussão com um passageiro no TI Recife, localizado no bairro de São José, área central da Capital, ao lado da Estação Central do Metrô. Segundo o Grande Recife Consórcio de Transporte, a confusão ocorreu no dia 31 de agosto.

As imagens foram feitas por pessoas que estavam no local e compartilhadas nas redes sociais. O vídeo mostra parte da discussão entre o vigilante e o passageiro. Durante a confusão, o profissional saca a arma e dá um tiro para o alto.

Leia também:
Cerca de 200 pessoas pulam catracas e invadem Estação Central do Recife; veja vídeo
No primeiro dia útil após reajuste, passageiros reprovam nova tarifa do metrô

Em nota, o Grande Recife Consórcio informou que apura a ocorrência junto à BBC. Segundo a empresa, o usuário teria se recusado a pagar passagem para entrar no metrô e iniciou a discussão com fiscais e o vigilante que aparece nas imagens. "O Consórcio lembra que utilizar ônibus ou metrô sem o pagamento da tarifa é proibido, pois prejudica a manutenção do sistema de transporte público", reiterou o Grande Recife.

Ainda de acordo com o Consórcio, o vigilante foi afastado das suas funções até que tudo seja devidamente apurado e esclarecido. O Portal FolhaPE tentou contato com a BBC Vigilância e Serviço, mas não obteve retorno.

Assista ao vídeo:

Veja também

Procon-PE impede festa com mais de 400 pessoas em Jaboatão dos Guararapes
Pandemia

Procon-PE impede festa com mais de 400 pessoas em Jaboatão

Chile conclui eleição histórica em busca de maior equidade com uma nova Constituição
AMÉRICA LATINA

Chile conclui eleição histórica em busca de uma nova Constituição