Vinícius quer retribuir carinho do Náutico com acesso

Acolhido pelo Alvirrubro em duas oportunidades, o meia e faz questão de ressaltar a ligação com o clube

Bloco do Boi TrelosoBloco do Boi Treloso - Foto: Reprodução/Divulgação

O Náutico apareceu na carreira de Vinícius nos dois momentos em que ele mais precisava de apoio. Em 2014, chegou desacreditado após rodar por diversos clubes e não se firmar. No Timbu, encontrou o melhor futebol, se destacou e chamou a atenção das grandes equipes do País.

Transferiu-se para o Fluminense e na sequência foi contratado pelo Atlético/PR. Manteve a boa média de atuação, porém, teve problemas com o técnico Paulo Autuori e foi afastado do elenco. Outra vez, o Timbu recebeu o meio-campista de braços abertos. Reforço importante na briga pelo acesso à Série A. E nesta segunda passagem, o camisa 29 chegará à marca de 50 partidas defendendo o Alvirrubro, no sábado, quando o Náutico receberá o Ceará, na Arena de Pernambuco. Alcançar este número de jogos pelo Timbu não chega aos pés da felicidade que Vinícius teve ao voltar. Em toda entrevista coletiva o meia faz questão de ressaltar o quanto se sente bem no clube, que o acolheu por duas vezes.

“Eu, particularmente, fico muito feliz em estar no Náutico. Fiz questão quando apareceu a oportunidade de vir para cá. Cheguei com o propósito de conquistar o acesso. Fico satisfeito em poder fazer 50 jogos com a camisa do Náutico, que é um clube grande do Brasil. Claro que não é uma marca tão expressiva, mas fico contente. E o pensamento é total no acesso. Estamos trabalhando no dia a dia para isso”, garantiu o meio-campista.

Apesar do curto espaço de tempo entre as duas passagens, Vinícius amadureceu dentro e fora de campo. Ele procura se controlar mais nas reclamações e nas faltas, evoluiu tecnicamente e chama a responsabilidade no quesito liderança dentro do elenco para assumir a função de ser uma das referências alvirrubras.

“Sou um cara que amadureci bastante devido às coisas que aconteceram na minha vida e na carreira. Pode ver que meu numero de cartões diminuiu. Em 2014 era punido muito vezes. E fui amadurecendo nesse aspecto. Sou muito agradecido ao Náutico. O clube me abriu as portas para o Fluminense, Atlético/PR e pude ser visto por muitos times. Por isso não pensei duas vezes em voltar. Quero mostrar meu carinho e respeito ao Náutico”, finalizou.

 

Veja também

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista
Coronavírus

Classes mais altas têm maior potencial de contaminação em repique de casos, diz infectologista

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria
internacional

Protestos contra violência policial deixam 56 mortos e fecham escolas na Nigéria