SAÚDE

Violência em postos preocupa médicos

A mais recente investida foi no dia 25 de outubro, quando dois homens armados invadiram a Unidade de Saúde da Família (USF) da Lagoa Encantada, no Ibura, por volta das 12h, e levaram os pertences da equipe e de pacientes.

Raquel LyraRaquel Lyra - Foto: Roberto Pereira Jr./Divulgação

 

Cinco crimes dentro de unidades de saúde do Recife nos últimos três meses. A conta é do Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe). A insegurança nos locais de trabalho é criticada pela instituição, que busca uma audiência urgente com a gestão municipal. Os médicos querem uma posição da Secretaria de Saúde para o retorno de vigilantes aos prédios, que segundo eles deixou de fazer parte da rotina das unidades. A mais recente investida foi no dia 25 de outubro, quando dois homens armados invadiram a Unidade de Saúde da Família (USF) da Lagoa Encantada, no Ibura, por volta das 12h, e levaram os pertences da equipe e de pacientes.
A vice-presidente do Simepe, Cláudia Beatriz Andrade, contou que na série de episódios já houve agressão, roubo de carro e de pertences, além de furto. Sendo os alvos unidades de saúde localizadas em Dois Unidos, Bomba do Heméterio, Ibura e Casa Amarela. “O sentimento de insegurança por parte dos profissionais atuando na atenção primaria é enorme. Os acontecimentos que mostram a fragilidade da segurança nos postos de trabalho. Anteriormente essas unidades contavam com vigilância. E no último ano a segurança foi retirada. A alegação foi a crise econômica”, reclamou Cláudia Beatriz.

 “Eles entraram por­­­­­que viram a oportunidade fácil”, lamentou uma das médicas assaltadas na USF da Lagoa Encantada, que preferiu não ter o nome divul­­­gado. A Secretaria de Saú­­­de dis­­­se que se disponibilizará pa­­­ra agendar reunião. Informou ainda que a segurança está garantida pelos 820 profissionais de segurança lotados nas unidades, sendo 217 guardas municipais. Dis­­­se ainda que, todas as emergências da rede do receberam sistema de monitoramento por câmeras.
HOF
Na madrugada de ontem, ban­­didos invadiram o ambulatório do Hospital Otávio de Freitas (HOF) e levaram cinco monitores, uma TV e uma CPU utilizados no ordenamen­­­to do atendimento do se­­­tor. Por conta disso, pela ma­­­nhã, só as consultas de casos prioritários foram realizadas e os demais foram sendo reagen­­­dados. A direção já está tomando as providências para a substituição dos equipamentos e, consequentemente, nor­­­­­­­malização do serviço. Segundo a Secretária Estadual de Saúde, o hospital conta com câmeras de segurança e 20 postos de vigilância, além de sete profissionais de portaria, no plantão noturno, para regular o acesso ao hospital.

 

Veja também

Professora da Unicap é acusada de racismo
Racismo

Professora da Unicap é acusada de racismo

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG
animais

Homem é condenado a pagar 15 salários mínimos por maltratar cães em MG