A-A+

Voo que traz brasileiros de Wuhan tem checagem de temperatura e aviso de troca de máscaras

A operação foi iniciada na quarta-feira (5). A previsão é que o grupo, composto por 34 pessoas, chegue ao Brasil por volta das 3h deste domingo (9).

[1250] Avião da FAB[1250] Avião da FAB - Foto: reprodução

Checagem periódica de temperatura, uso obrigatório de máscaras cirúrgicas, aviso sonoro para higiene das mãos e troca de máscaras a cada 4h. As medidas fazem parte de um conjunto de recomendações do Ministério da Saúde e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para a operação Regresso, nome dado à missão que visa trazer brasileiros e parentes que estavam em Wuhan, cidade chinesa isolada devido à epidemia pelo novo coronavírus.

A operação foi iniciada na quarta-feira (5). A previsão é que o grupo, composto por 34 pessoas, chegue ao Brasil por volta das 3h deste domingo (9). Após o retorno, o grupo deverá permanecer em quarentena por 18 dias em um hotel de trânsito localizado dentro da base aérea de Anápolis (GO). O objetivo é excluir a possibilidade de que tenha havido uma infecção pelo vírus –em geral, o prazo máximo para aparecimento de sintomas é de 14 dias.

O documento, porém, mostra que a rotina de cuidados começou ainda antes do embarque, o qual foi condicionado à avaliação médica e checagem de exames. Nenhum deles apresentava sintomas .

Leia também:
Estrangeiros em Wuhan poderão voltar em voo da FAB nos assentos livres, diz Bolsonaro


Após o aval para embarque, os órgãos recomendaram que o voo fosse dividido em duas áreas. A primeira envolve o local de circulação restrita da tripulação. A segunda, a área onde ficam os passageiros.

Imagens publicadas pela Força Aérea Brasileira mostram as áreas divididas por cortinas dentro da aeronave, além do uso de máscaras cirúrgicas por todos os passageiros.

Segundo o Ministério da Saúde, o item é obrigatório durante o voo e deve ser trocado a cada 4h, e seguindo orientações específicas. Avisos sonoros também alertam sobre a necessidade de higiene das mãos.

O documento também cita ações que devem ser adotadas durante a quarentena. Entre elas, estão a realização de um exame admissional no momento do desembarque e a avaliação de temperatura três vezes ao dia, além da coleta de amostras respiratórias no 1º e 14º dia. O grupo deve ser liberado da quarentena após resultado negativo dos exames.

Em outra medida, o ministério também prevê que haja oferta de apoio psicológico por meio de um psicólogo e um psiquiatra durante a quarentena e acesso ilimitado a telefone e internet para contato com familiares.

O documento também traz orientações específicas que serão repassadas ao grupo em quarentena, como circular em áreas comuns apenas com o uso de máscaras, fazer as refeições apenas dentro do quarto e usar álcool gel antes de abrir e depois de fechar um freezer com alimentos.
Funcionários que devem atuar no local devem usar avental impermeável, luvas, óculos e máscara.
Além dos brasileiros e parentes, outras 24 pessoas, entre tripulantes e equipe médica, também podem fazer parte da quarentena. Segundo o ministério, a situação será avaliada de acordo com as funções exercidas dentro do voo.
Neste caso, tripulantes que tiveram apenas contato eventual não ficam em quarentena, mas devem ser monitorados ao menos duas vezes ao dia por 14 dias para verificar se houve aparecimento de sintomas. Já a equipe médica que fez a coleta de exames deve acompanhar o grupo que ficará na base.
Dados do Ministério da Saúde apontam oito casos de suspeita de infecção pelo novo coronavírus. O país não tem nenhum caso confirmado até o momento.
Também já houve ao menos 26 casos descartados após exames. A maioria tem apontado para vírus da gripe, como o influenza B.

Veja também

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI
CNI

Preocupação com falta de mão de obra cresce na indústria, diz CNI

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar
Direitos Humanos

ONU teme 'crimes hediondos em massa' em Mianmar