397 pessoas são presas no País durante as eleições

Dos presos, 60 são candidatos nessas eleições. Com 26 detidos, Minas Gerais se mantém como o Estado com maior número de candidatos presos

Na terceira atualização de dados da eleição divulgado pelo TSE às 12h30 deste domingo (2), o número de ocorrências envolvendo pessoas subiu para 907, sendo 92 candidatos e 815 não candidatos. No total, 397 pessoas foram presas, das quais 60 são candidatos. Outros 32 candidatos tiveram registros de ocorrências sem prisão.

Com 26 detidos, Minas Gerais se mantém como o Estado com maior número de candidatos presos, seguida de Santa Catarina com seis candidatos presos, São Paulo (cinco), Rio de Janeiro, Piauí e Mato Grosso do Sul com quatro cada, Goiás com três, e Mato Grosso, Paraíba, Paraná e Rio Grande do Norte com dois presos cada. A maioria foi presa por praticar crimes de boca de urna.

Também foram decretadas prisões por divulgação de propaganda, transporte ilegal de eleitores, corrupção eleitoral, entre outros motivos. Das 815 ocorrências envolvendo não candidatos, 337 foram presos e 478 sem prisão.

Os motivos das ocorrências entre não-candidatos são boca de urna (175 prisões), divulgação de propaganda (50 prisões), transporte ilegal de eleitores (18 prisões), corrupção eleitoral (30 prisões), outros motivos (64 prisões). Ao todo foram substituídas 1.675 urnas.

Veja também

Em tratamento contra a Covid, ministro da Saúde é internado
BRASÍLIA

Em tratamento contra a Covid, ministro da Saúde é internado

A necessária reestruturação do DEM no Recife
EDMAR LYRA

A necessária reestruturação do DEM no Recife