A Siqueira, Márcio França descarta trocar PSB por PSDB

"Ele garantiu que fica no PSB. Ele próprio não cogita sair", assinala o presidente nacional

Carlos SiqueiraCarlos Siqueira - Foto: Arquivo PSB

Em meio a rumores de que o vice-governador de São Paulo, Márcio França, poderia trocar as hostes socialistas pelo ninho tucano, o presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, tratou de abordar o tema junto ao correligionário. Entre tucanos, no início do dia ontem, a hipótese de travessia era vista como uma forma de "fechar a equação", uma vez que há resistência no tucanato à possibilidade de o governador Geraldo Alckmin abrir mão do comando do Estado em favor do PSB. Em um telefonema trocado com Márcio, Siqueira levou o assunto à pauta. E, à coluna, observou o seguinte: "Conversei com ele, hoje, e isso não tem o menor sentido. Inclusive porque o partido trata o projeto dele como prioridade, é o principal estado da federação. Temos disposição de apoiá-lo".

O dirigente emendou: "Márcio é uma pessoa histórica. Desde a juventude, está no partido. Não há razão para sair. Ele garantiu que fica no PSB. Ele próprio não cogita sair". Siqueira é taxativo sobre a candidatura de Márcio a governador de São Paulo: "Ele será candidato com ou sem o PSDB. Naturalmente, ele continua buscando apoio do PSDB, que agregraria muito". A candidatura de Márcio é definida como prioridade também pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara, vice-presidente nacional do PSB. O assunto poderia ter rebatimento no Estado, caso uma aliança nacional se refletisse em composição no Estado. Para isso, os tucanos teriam que deixar a oposição, como fontes palacianas sugerem. Mas o presidente estadual da sigla, Bruno Araújo, vem realçando que "Pernambuco não entra nessa conta (de São Paulo)".

Beto entra no páreo
Como a coluna cantou a pedra, Beto Albuquerque, que é vice-presidente nacional do PSB, entregou, ontem, a Carlos Siqueira, documento no qual se coloca à disposição para concorrer à Presidência da República e reitera importância de o partido ter candidatura própria. Do encontro, também participou Renato Casagrande.

Beto Albuquerque entrega documento a Carlos Siqueira no qual que dispõe a concorrer ao Planalto

Beto Albuquerque entrega documento a Carlos Siqueira no qual que dispõe a concorrer ao Planalto - Crédito: divulgação

Não é vida ou morte - Siqueira lembra que quando ele e Miguel Arraes ingressaram no PSB, Beto já era filiado. Define Beto como uma "figura muito querida de todos nós". Mas pondera que a candidatura dele será tratada no momento oportuno. "Não é questão de vida ou morte", considera.

NO TSE - Na tarde de ontem, o PMDB nacional protocolou petição, comunicando ao TSE que realizou modificações no estatuto partidário durante a convenção nacional, realizada no último dia 19 de dezembro, e requerendo que as alterações sejam "anotadas" pela Corte. O documento realça a mudança de nome da sigla para MDB.

Estatuto - O texto registra ainda que "não foram feitas alterações estatutárias relevantes" e acrescenta: "De uma forma geral, foram substituídas regras revogadas e sem nenhuma eficácia por regras vigentes e válidas".

A quem compete - O trecho seguinte destaca que "todos os procedimentos para alteração do Estatuto foram observados e que a convenção nacional é orgão partidário competente para decidir sobre essas alterações substanciais no estatuto".

Local - A mudança do estatuto, aprovada durante a convenção nacional, incluiu a prerrogativa de a comissão executiva nacional dissolver diretórios estaduais, o que poderia implicar na troca de comando do PMDB de Pernambuco. Na ocasião, o presidente, Romero Jucá, previu que teria "o PMDB ou o MDB fortalecido em Pernambuco com a presença do senador Fernando Bezerra e de diversos deputados federais de Pernambuco que ingressarão no partido".

 

Veja também

Justiça derruba decisão que bloqueava bens de Doria em ação por improbidade na Prefeitura de SP
são paulo

Justiça derruba decisão que bloqueava bens de Doria em ação por improbidade na Prefeitura de SP

Com 'Erundinamóvel', vice de Boulos entrará na campanha de rua para tentar forçar ida ao 2º turno
SÃO PAULO

Com 'Erundinamóvel', vice de Boulos entrará na campanha de rua para tentar forçar ida ao 2º turno