Ação articulada da oposição para lembrar postura do PSB

Tática é colar no PSB uma tarja da incoerência. Oposicionistas vão bater nessa tecla em conjunto daqui para frente

O que vinha se dando por meio de vozes isoladas virou uma ação articulada do grupo Pernambuco Quer Mudar. Ontem, foi a vez do deputado federal Bruno Araújo assinar postagem, a qual ele se encerra com a seguinte assertiva: "Michel Temer nasceu pelas mãos do PSB. Paulo Câmara é o padrinho". A estratégia de sublinhar a participação dos socialistas na votação a favor do impeachment é casada com outros oposicionistas. O deputado federal Mendonça Filho já vinha grifando a mesma tese em outras palavras. "Até pouco, eles falaram só, dando a versão de que ele era anti-Temer", assinala Bruno Araújo à coluna, referindo-se à gestão Paulo Câmara e ao governador. E emenda: "Agora, o debate vai permitir que se paute a verdade. Foi a diferença de votos do PSB que garantiu o afastamento de Dilma Rousseff". A ideia é levar esse enfrentamento à TV e ao rádio. A tática se dá no momento em que o PSB traça uma rota de aproximação na direção do PT. Ontem, em São Paulo, em encontro promovido pela Fundação Lemann, Paulo Câmara e o ex-prefeito Fernando Haddad chegaram a trocar uma ideia. Presidente do PT-PE, Bruno Ribeiro vem reforçando que, a despeito de o diretório estadual ter deliberado em favor de candidatura própria, a decisão sobre alianças será sacramentada pela direção nacional. Na ala favorável à candidatura própria, a posição do PSB tem servido de argumento para que os petistas não se aliem ao PSB. A seu discurso, recordando o impeachment, Bruno anexou nota do diretório estadual do PSB, assinada por Sileno Guedes, datada de 16 de abril de 2016. Em sua postagem, Bruno sublinhou: "Há apenas dois anos, o governador e seu partido rejeitavam o PT e divulgaram carta na véspera da votação do impeachment de Dilma Rousseff". A oposição quer colar no PSB uma tarja da incoerência e vai bater nessa tecla em conjunto daqui para frente.


Tô só observando
Ao apontar "seletividade do STF", o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, botou para andar a PEC, já aprovada pelo Senado, que extingue o foro para todas as autoridades, exceto presidentes da República, do Supremo, do Senado e da Câmara. Leia-se: atinge juízes e membros do Ministério Público.

Estranho >
Do outro lado, há impressão de que a perda de foro não deve preocupar. "Possivelmente, só servidores corruptos querem foro privilegiado para si. Juízes e promotores com carreira ilibada não se preocupam com esta prerrogativa. O Congresso não irá encontrar resistência numa PEC sobre isso", avalia Cristiano Pimentel, do Ministério Público de Contas.

Eleitorado > O ex-vereador de Jaboatão e ex-deputado, Manoel Pereira Neco,que concorre, este ano, a uma cadeira na Alepe, reúne, hoje, amigos e correligionários em casa de eventos para comemorar os 425 anos da segunda maior cidade de Pernambuco. São esperadas as presenças do deputado Felipe Carreras e de representantes do PP.

Atalho... > Para o deputado federal Danilo Cabral, que apresentou Projeto de Lei Complementar visando a proibir que gestores públicos, em último ano de mandato, vendam empresas públicas para tapar pretensos rombos nas contas, o projeto é um complemento à Lei de Responsabilidade Fiscal,

...proibido > Ele realça que a LRF já limita os gastos dos gestores nos últimos meses de mandato e passaria a proibir também a liquidação dos bens públicos em final de gestão, observando que a tentativa de compensar buracos nas contas se dá em função de gestões fiscais irresponsáveis.

Veja também

Senado: relatório da MP da Eletrobras é lido; votação deve ser amanhã
PRIVATIZAÇÃO

Senado: relatório da MP da Eletrobras é lido; votação deve ser amanhã

CPI: Gilmar Mendes autoriza silêncio de auditor investigado após dados falsos citados por Bolsonaro
Investigação

CPI: Gilmar Mendes autoriza silêncio de auditor investigado após dados falsos citados por Bolsonaro