Adversários tentam encurralar Rodrigo Maia

Parlamentar solicitou um debate na TV Câmara para pressionar o democrata

Proposta é do líder do PT no Senado, Humberto CostaProposta é do líder do PT no Senado, Humberto Costa - Foto: Roberto Stuckert Filho

 

Na tentativa de explorar o impasse sobre a viabilidade jurídica da candidatura do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), à reeleição, seus virtuais adversários na disputa pelo comando da Casa decidiram provocá-lo a oficializar a candidatura. Com isso, acreditam que haveria um fato concreto para cobrar ao Supremo Tribunal Federal (STF) um posicionamento sobre o caso. O regimento da Câmara veda que o presidente da Casa dispute a reeleição em uma mesma legislatura.
Rogério Rosso (PSD-DF), um dos deputados que disputam o cargo, encaminhou ao comando da Casa, ontem, uma “sugestão” para que a TV Câmara realize um debate ao vivo entre aqueles que desejam ocupar a presidência. A eleição está marcada para fevereiro. “A realização de um debate seria muito importante para o fortalecimento da democracia e para o fundamental acompanhamento do processo eleitoral por parte dos parlamentares e da sociedade”, defendeu.

Rosso publicou um vídeo em que já pressiona provoca o atual presidente da Câmara. “Fica nosso registro de que estrutura, pessoal, equipamentos e condições técnicas a TV Câmara tem. Agora, com a palavra, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia”, diz Rosso dentro do estúdio da TV Câmara. Maia tem relutado em admitir sua candidatura por causa de um imbróglio jurídico.

O grupo de seus adversários - Jovair Arantes (PTB-GO), Rogério Rosso (PSD-DF) e André Figueiredo (PDT-CE) - questiona na Justiça a possibilidade de Rodrigo Maia tentar ser reconduzido, já que a Constituição veda reeleição ao comando da Casa dentro de uma mesma legislatura. Já Maia e seus aliados alegam que o texto constitucional não aborda mandatos-tampões, caso do atual presidente, que assumiu o cargo após disputa para suceder o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou em julho de 2016. Por causa do recesso, o Supremo não deve se manifestar antes da eleição, marcada para dois de fevereiro. Para Maia, caso ele seja eleito, não haverá insegurança jurídica.

Ontem, Jovair Arantes (PTB-GO) também fez críticas à tentativa de Maia de ser reeleito. Ele disse entender que a candidatura do democrata “não é legítima”, já que a Constituição e o regimento interno da Casa não permitem a reeleição de membros da Mesa numa mesma legislatura. O petebista diz que irá à Justiça contra uma eventual vitória de Maia, posição que já foi adotada pelo também candidato André Figueiredo (PDT-CE), que levou o caso ao Supremo. Maia não comentou as manifestações dos adversários.

Arrecadação
O deputado do PTB está fazendo uma vaquinha para financiar sua campanha. Ele está pedindo aos colegas entre R$ 5 mil e R$ 7 mil. O candidato quer chegar a 30 colegas doadores para pagar material de campanha, viagens de jatinho pelo país e almoços em busca de votos.

 

Veja também

FHC declara voto em Doria à Presidência depois de mal-estar no PSDB provocado por encontro com Lula
POLÍTICA

FHC declara voto em Doria à Presidência depois de mal-estar no PSDB provocado por encontro com Lula

Bolsonaro impõe sigilo de cem anos sobre acesso dos filhos ao Planalto
Informações

Bolsonaro impõe sigilo de cem anos sobre acesso dos filhos ao Planalto