Aeronáutica encerra investigação sobre morte de Teori

Resultado deve ser anunciado pelo Cenipa na próxima segunda-feira

Avião que caiu em ParatyAvião que caiu em Paraty - Foto: Reprodução/TV Brasil

A investigação da Aeronáutica sobre a queda do avião que matou o ex-ministro do STF Teori Zavascki em janeiro de 2017 foi concluída e seus resultados deverão ser divulgados na tarde desta segunda-feira (22). A informação foi antecipada pela TV Globo em Brasília e confirmada à reportagem pela Aeronáutica.

A investigação, a cargo do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), não aponta "culpados", mas sim os principais "fatores contribuintes" para a queda do avião. O objetivo maior é prevenir futuros acidentes. Segundo a Aeronáutica, o relatório final "resgata o histórico da ocorrência, apresenta as informações factuais, as análises dos elementos de investigação, conclusões e recomendações de segurança".

Leia também
Falha humana é a principal linha da investigação sobre morte de Teori


Os resultados são distribuídos a diversas autoridades responsáveis pela segurança de voo no país. Antes do anúncio à imprensa, a Aeronáutica deverá informar o resultado da investigação aos familiares das vítimas.

A queda do avião turboélice King Air no mar perto do aeroporto de Paraty (RJ) completará um ano nesta sexta-feira (19). Na época Zavascki era o relator, no Supremo Tribunal Federal, dos casos derivados da Operação Lava Jato, o que deu origem a dúvidas de familiares e teorias conspiratórias. Além de Zavascki, que viajava de férias, morreram o empresário de hotelaria e dono do avião, Carlos Alberto Fernandes Filgueiras, 69, o piloto Osmar Rodrigues, 56, a massoterapeuta Maíra Panas, 23, e sua mãe, Maria Hilda Panas Helatczuk, 55.

A queda foi investigada ao longo de um ano pelo Cenipa de Brasília. Em paralelo, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal investigam o caso para saber os responsáveis pelas mortes, ainda que de forma involuntária, por exemplo, uma falha do piloto ou do serviço de manutenção da aeronave.

O inquérito policial ainda não tem prazo para ser encerrado, mas a direção da PF, em reunião no último dia 10 com a presidente do STF, Cármen Lúcia, informou que a hipótese mais provável é a desorientação espacial do piloto, que viajava sob chuva intensa e iria pousar em uma pista sem equipamentos eletrônicos de auxílio a pouso e decolagem e pode ter se enganado sobre a verdadeira altitude do avião, que acabou por atingir o mar.

A investigação da PF está a cargo do delegado da PF Rubens Maleiner, que também é piloto e investigou outros casos de acidentes aéreos nos últimos anos, como o que matou, em 2014, o então governado de Pernambuco Eduardo Campos (PSB).

Veja também

Justiça nega pedido para suspender impeachment contra Witzel
Rio de Janeiro

Justiça nega pedido para suspender impeachment contra Witzel

General Ramos vai para a reserva remunerada do Exército
Militares

General Ramos vai para a reserva remunerada do Exército