AGU lança cartilha sobre condutas vedadas em eleição municipal

Entre os objetivos do documento está esclarecer quais condutas violam a legislação eleitoral e também orientar o agente público sobre como evitar o uso da máquina pública em favor de candidaturas

Urna eletrônicaUrna eletrônica - Foto: TSE

A Advocacia-Geral da União (AGU) lançou a cartilha que orienta os agentes públicos sobre as condutas vedadas em função das eleições municipais de 2020.

Entre os objetivos do documento está esclarecer quais condutas violam a legislação eleitoral e também orientar o agente público sobre como evitar o uso da máquina pública em favor de candidaturas.

Leia também:
Parlamentares e dirigentes partidários estimam adiar 1º turno das eleições para 15 de novembro
Líder do governo no Senado condiciona uso do fundo eleitoral na pandemia ao adiamento das eleições
Ministro da Saúde defende adiar eleições municipais


O documento aborda temas que vão desde a definição de agente público para fins eleitorais, passando por condutas vedadas e uso indevido, desvio ou abuso do poder de autoridade, até orientações sobre a conduta ética a ser adotada durante o período eleitoral e improbidade administrativa, informou o órgão.

A cartilha discorre ainda sobre a participação de candidatos em inaugurações de obras públicas; propaganda eleitoral antecipada; publicidade institucional; cessão e utilização de bens públicos; cessão de servidores ou empregados; transferência voluntária de recursos públicos; e distribuição gratuita de bens, valores ou benefícios.

Veja também

PT-PE aprova resolução que deixa aberta a possibilidade de retomar aliança com o PSB
Blog da Folha

PT-PE aprova resolução que deixa aberta a possibilidade de retomar aliança com o PSB

Moraes, do STF, anula decisão de Bretas que transformou Temer e Moreira Franco em réus
Política

Moraes, do STF, anula decisão de Bretas que transformou Temer e Moreira Franco em réus