AGU pede que caminhoneiros autônomos participem de audiência no STF

O pedido foi feito ao ministro Luiz Fux, que deve receber representantes de diversos setores relacionados ao tema em audiência marcada para esta quarta-feira (20)

Categoria pode parar depois do 7 de setembro por tempo indeterminadoCategoria pode parar depois do 7 de setembro por tempo indeterminado - Foto: Antônio Cruz/ABr

A Advocacia-Geral da União solicitou nesta terça-feira (19) a participação de caminhoneiros autônomos em uma audiência pública no Supremo Tribunal Federal para discutir o tabelamento do preço de fretes no país. O pedido foi feito ao ministro Luiz Fux, que deve receber representantes de diversos setores relacionados ao tema em audiência marcada para esta quarta-feira (20).

Leia também
Michel Temer diz que governo vai esperar decisão do STF sobre fretes
AGU defende legalidade da tabela de frete no Supremo
Justiça suspende tabela de frete mínimo para associação do agronegócio


Segundo a AGU, o ofício pede a presença de três representantes dos caminhoneiros autônomos, categoria que protagonizou os protestos no fim do mês passado, paralisando rodovias em todo o Brasil. “A medida tem como objetivo garantir que a categoria participe das discussões, de modo que seja preservada a representatividade processual dos interesses econômicos envolvidos no caso”, defendeu o órgão.

Uma das principais demandas dos motoristas, a fixação de um preço mínimo para o transporte de cargas, foi alvo de críticas de empresários do agronegócio e as duas versões com o tabelamento divulgadas nas últimas semanas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) tiveram que ser suspensas pelo governo.

Luiz Fux é relator de três ações que questionam na Suprema Corte a legalidade do tabelamento do frete. Na quinta-feira (14), ele atendeu a outra solicitação da AGU e determinou a suspensão das 53 ações contestatórias ajuizadas em diferentes instâncias até que o STF julgue as três ações de inconstitucionalidade protocoladas pela Associação do Transporte Rodoviário de Carga Do Brasil, pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Veja também

Brasil antecipou mais de 16 milhões de doses de vacinas, diz Queiroga
IMUNIZANTE

Brasil antecipou mais de 16 milhões de doses de vacinas, diz Queiroga

Barroso se reúne com deputados da comissão do voto impresso
TSE

Barroso se reúne com deputados da comissão do voto impresso