Coronavírus

Alcântara deve ser primeira cidade a atingir 100% de vacinados com primeira dose, diz Flavio Dino

Segundo o governador Flávio Dino (PCdoB-MA), isso ocorre porque o município recebeu milhares de vacinas destinadas à população quilombola, que era considerada prioritária no PNI

Governador do Maranhão, Flávio DinoGovernador do Maranhão, Flávio Dino - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

A cidade de Alcântara, no Maranhão, deve ser a primeira do país a vacinar praticamente toda a sua população com ao menos uma dose de imunizante.

Segundo o governador Flávio Dino (PCdoB-MA), isso ocorre porque o município recebeu milhares de vacinas destinadas à população quilombola, que era considerada prioritária no Programa Nacional de Imunização (PNI).

Nesta semana, a cidade ultrapassou a marca de 60% de pessoas que receberam ao menos a primeira dose da vacina.
"Em uma semana, atingiremos a marca dos 100%", afirmou o governador à reportagem.
 

Uma outra cidade brasileira, Serrana, no interior de São Paulo, também imunizou praticamente toda a sua população. Mas ela faz parte de um estudo clínico do Instituto Butantan, que buscou descobrir a efetividade da vacina em uma situação ideal em que quase todas as pessoas fossem imunizadas. Estudo parecido está sendo feito com a vacina da AstraZeneca na cidade de Botucatu, em SP.

Alcântara integra a região metropolitana de São Luís, que é a capital do estado.

A maior parte de seu território é ocupada por cem comunidades quilombolas, oficializadas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

Ela se destaca não apenas pelo tamanho da área titulada, mas principalmente pela ancestralidade da ocupação, que remonta ao século XVIII.

Veja também

Em dia de Moro suspeito no STF, Lula lembra dos dias na prisão: 'provação de fé'
Política

Em dia de Moro suspeito no STF, Lula lembra dos dias na prisão: 'provação de fé'

Ex-alunos da Faculdade de Direito do Recife pedem impeachment de Bolsonaro
Posicionamento

Ex-alunos da Faculdade de Direito do Recife pedem impeachment de Bolsonaro