Alckmin acena para Paulo Câmara, de olho em 2018

Governador de São Paulo anunciou que irá doar bombas para ajudar no combate à seca no Nordeste

Deputado federal Danilo Cabral (PSB), em entrevista à Rádio Folha Deputado federal Danilo Cabral (PSB), em entrevista à Rádio Folha  - Foto: Jose Britto / Folha de Pernambuco

Um dos nomes mais cotados para a disputa presidencial de 2018, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), fará um gesto em busca de uma vitrine para o Nordeste, na próxima segunda-feira. Conhecida por dar resultados pífios aos tucanos nas eleições para o Governo Federal, a região receberá doação do governo paulista de bombas para ajudar no combater a seca. A ponte para o afago seria, justamente, o governador Paulo Câmara (PSB), que nutre uma relação de proximidade com o gestor paulista. Ele e o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), foram convidados para o ato, mas ainda não confirmaram presença.

O convite aos governadores do PSB não seria somente um gesto ao Nordeste, mas também um indicativo da aproximação entre Alckmin e a agremiação. Nos últimos meses, o tucano paulista vem adotando uma posição cada vez mais independente em relação ao Palácio do Planalto e ao próprio PSDB. Ele é contra a ampliação de espaços do seu partido no governo Temer e é favorável a uma postura de apoio crítico. Nos bastidores, especulações dão conta de que a ida para o PSB seria o plano B de Alckmin, caso o PSDB feche as portas para ele na disputa presidencial. Em um outro cenário, ele teria o apoio da legenda socialista, cobiçado pelas principais agremiações.

Questionado sobre a possibilidade de Alckmin migrar para o PSB, Paulo Câmara reconheceu o bom relacionamento com o tucano, mas afastou a possibilidade. "O governador Geraldo Alckmin tem uma posição muito sólida com o partido dele e cabe a ele conversar e decidir. Já a questão do PSB e a filiação não estão nem dentro das discussões do PSB e também acredito que não esteja na pauta de Alckmin", despistou.

A possibilidade de o gestor paulista migrar para o PSB esfriou após a larga vitória do empresário João Dória (PSDB) para a Prefeitura de São Paulo. O resultado deu fôlego a Alckmin na disputa interna do PSDB. A boa relação com Paulo Câmara, contudo, permanece. Ontem, Alckmin ligou para o socialista, com o intuito de convidá-lo para a solenidade da próxima segunda-feira.

Prefeitos

Diante do aperto da crise financeira, prefeitos eleitos vêm procurando o governador, em busca de parcerias. A conta apertada não é exclusividade das gestões municipais e o próprio Palácio das Princesas acumula esforços para levar adiante a máxima do PSB de fazer mais com menos, em tempos de crise. Diante da situação adversa, o chefe do Executivo estadual pediu novas audiências com os gestores no início do próximo ano para traçar pensar em projetos voltados para a Segurança, Educação e recursos hídricos.

Veja também

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal
Protesto

Cidades têm volta do panelaço em protesto pela má condução da pandemia pelo governo federal

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus
Congresso

Oposição decide entrar com novo pedido de impeachment de Bolsonaro por crise em Manaus