Alckmin defende candidatura única para o governo de SP

O tucano relativizou a declaração de João Doria, de que o partido não abriria mão de uma candidatura própria

Geraldo AlckminGeraldo Alckmin - Foto: Reprodução/ Facebook

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, declarou nesta segunda-feira (29) ao falar com jornalistas que o ideal é que os partidos da base tenham um candidato único para disputar o Executivo Paulista. "O ideal é ter um candidato só da base. É questão de conversar", disse.

Questionado sobre ter dito à imprensa que o PSDB abriria mão de um candidato próprio no Estado para apoiar a candidatura do vice-governador Márcio França (PSB) e formar uma aliança disputar a Presidência, Alckmin disse que a questão não está fechada e que dependerá da negociação entre as siglas.

O tucano relativizou a declaração do prefeito de São Paulo, João Doria, de que o partido não abriria mão de uma candidatura própria. "É natural que o PSDB, sendo o maior partido e estando a seis gestões à frente do Estado, tenha candidato próprio, mas não dá pra ir para a mesa de negociação com uma pré-condição, porque senão não há diálogo."

Se nenhum dos partidos abrir mão de encabeçar a chapa, segundo Alckmin, haverá mais de um candidato, algo que para o governador não seria o ideal. A decisão final será do diretório estadual do partido. "Se não tiver possibilidade de unir toda a base, não tem problema. Vamos ter um, dois, três palanques", afirmou.

Leia também
Bruno: Apoio do PSDB a Márcio França não influencia Pernambuco


Lula
Sobre a decisão do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) de manter a condenação de Lula no caso do tríplex em Guarujá, Alckmin, que já havia se manifestado nas redes sociais, voltou a elogiar a Justiça. "Ficou claro que o Poder Judiciário funciona, que temos instituições sólidas. Segundo, que a lei é para todos. Não é possível que alguém do PT ou que seja importante esteja acima da lei".

Para o governador, a definição do ex-presidente ser ou não candidato à Presidência cabe ao PT, mas afirma que o "PSDB estará na disputa seja com Lula ou com outro candidato".

Transparência
A fala de Alckmin ocorreu após o governo do Estado assinar convênios de cooperação com o Tribunal de Contas do Estado e outros órgãos para integração do banco de dados, expansão de ouvidorias e do sistema de compras para todas as prefeituras.

O governador afirmou que medida busca dar transparência e gerar economia para os cofres públicos. No ranking da Controladoria-Geral da União que mede o cumprimento da Lei de Acesso à Informação, São Paulo tem pontuação máxima ao lado de outros onze estados. Em dezembro, o governador utilizou dados que não estavam acessíveis ao informar economia de R$ 1 bi nos gastos administrativos.

Veja também

MP aumenta limite de gastos com cartão corporativo para pagar serviços sem licitação na pandemia
Gastos

MP aumenta limite de gastos com cartão corporativo para pagar serviços sem licitação na pandemia

Paulo Skaf, que se reuniu com Bolsonaro, está com Covid-19
Bolsonaro

Paulo Skaf, que se reuniu com Bolsonaro, está com Covid-19