A-A+

Política

Alcolumbre reage a pressão no dia em que indicação ao STF completa 3 meses travada no Senado

Alcolumbre se posicionou sobre o assunto pela primeira vez, divulgando uma nota pública,

Davi Alcolumbre Davi Alcolumbre  - Foto: Pedro França/Agência Senado

O presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), reagiu nesta quarta-feira (13) à pressão para pautar a sabatina de André Mendonça para uma vaga no STF (Supremo Tribunal Federal).

Alcolumbre se posicionou sobre o assunto pela primeira vez, divulgando uma nota pública, no mesmo dia em que o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirma que ele estaria "jogando fora das quatro linhas da Constituição".

A indicação de Mendonça foi feita há três meses, mas segue emperrada no Senado.
 


Em sua nota, Alcolumbre também menciona indiretamente a pressão que vem sofrendo dos evangélicos.
"Querem transformar a legítima autonomia do presidente da CCJ em ato político e guerra religiosa", afirma o texto.

"Reafirmo que não aceitarei ser ameaçado, intimidado, perseguido ou chantageado com o aval ou a participação de quem quer que seja", diz.

Veja também

Ao compartilhar registro de encontro com Lula, João Campos defende frente ampla contra Bolsonaro
blog da folha

Ao compartilhar foto com Lula, João Campos defende frente ampla contra Bolsonaro

Presidente do PSDB defende apuração de suspeita de fraude em prévias
Bruno Araújo

Presidente do PSDB defende apuração de suspeita de fraude em prévias